Casal, gelo, sabedoria

Data de publicação: 14/04/2015

Sabedoria, os casais que a assumirem como companheira de vida encontrarão uma conselheira para o bem e conforto nas preocupações e tristezas

Por Cleusa e Alvício Thewes *

Fran e Rodrigo − O casal, a barra de gelo e a sabedoria. Embora sejam jovens, casados há apenas cinco anos e pais de uma menina, de 2, já enfrentam dificuldades no relacionamento. Ambos buscavam no casamento uma relação perfeita e se decepcionaram ao ver suas expectativas frustradas. Emocionalmente enfraquecidos, cada qual exagera nos defeitos do outro. Então discutem, ofendem-se e se magoam. Adotando atitude de frieza, literalmente gelam e se ignoram, ficando até 15 dias sem conversarem. Transformados em barras de gelo, congelam o afeto e assim fulminam todas as possibilidades de aproximação e entendimento. 
Diante dessa relação gélida, era normal que nascesse, e de fato nasceu, uma enorme resistência à parceria nas tarefas. As combinações tornaram-se impossíveis, mas as brigas não. Estas são frequentes e paralisam Fran e Rodrigo. Nelas, ambos descarregam suas amarguras, raivas e infelicidades, chegando mesmo a ponto de romperem, ficando separados por várias semanas.
O que mais aparece e se acentua nas queixas é a razão de cada um.
A prática do perdão e a espiritualidade conjugal, ingredientes tão importantes e necessários no Matrimônio, ficaram no altar, no dia do sim, esquecidos.

Gustavo e Ângela − Estão casados há sete anos e são pais de Bruna, de 4. O casal participou do curso para noivos na Igreja Católica. Gustavo e Ângela têm suas diferenças, tanto de personalidade quanto comportamentais. Ele é mais calmo; e ela, mais acelerada. No início do casamento, as cobranças principais recaíam sobre o jeito de ser de cada um.   O respeito mútuo veio com o tempo, na medida em que compreenderam e ajustaram as diferenças de personalidade. Também aprenderam a diluir o gelo relacional. Isso possibilitou a construção de uma parceria nas lidas da casa, na educação da Bruna e nas questões financeiras. O diálogo e as combinações foram fundamentais nessa mudança.
O casal também aprendeu a se perdoar. Praticam o perdão e rezam diariamente. Leves, dormem em paz. No pacote de seus planos, eles incluíram a intenção de envelhecerem juntos.

Casal barrinhas de gelo − Há pessoas que carregam em si o funcionamento emocional de hibernar. Elas se fecham diante das disputas conjugais. Passam dias em estado sólido, gelificados, emburrados, carregando sentimentos de raiva, tristeza, mágoa, comportamento que também fere a parceira ou o parceiro. É a forma que encontram para se proteger dos ataques conjugais. Nessa fase, os cônjuges se distanciam, vivem para si, congelam afetos e adiam decisões.  A vida conjugal esfria, o lar doce lar vira inverno conjugal, cinzento e frio.
Alto lá. Ninguém casa para viver assim. Não é mesmo? Ou você é a exceção à regra? Duvido. Ou ele ou ela tem que esquentar as emoções, aumentar a temperatura, modificar o relacionamento e usar o bom-senso. Em tais ocasiões, é imprescindível o resgate do caloroso amor, pois somente esse sentimento, tem a capacidade de descongelar a soberba e a ira, aquecer a humildade e o perdão. O casamento não é pista de patinação no gelo, nem montanha de gelo a ser escalada. Você casaria para viver como esquimó? Não? Então se toque, antes que seu casamento arruíne.
O casamento é a morada do amor  e do compromisso conjugal. Constituir família, ser feliz e fazer o outro feliz. Eis a missão conjugal. 

Casal sábio − Os relacionamentos conjugais passam por maturações e mudanças. Isso é inegável. Na medida em que a idade avança, novas situações se criam e provocam transformações na psique humana. As faixas etárias tendem a moldar a psique de acordo com as novas exigências da idade e do corpo. Isso tem uma implicação muito grande no casamento.  Conviver não é simplesmente o casal estar junto. Conviver pressupõe polir a própria personalidade para não ferir a do outro; adaptar-se às inevitáveis mudanças comportamentais e psíquicas; respeitar o jeito de ser do outro. Já perdi a conta do número de casais que acompanhei em terapia e que conseguiram esse pequeno milagre. Bonito de ver quando o casal procura e até clama por manutenção. E mais bonito ainda é ver como se adapta e mantém a união saudável. Isso é difícil? Nem tanto. Digo nem tanto porque nem é necessário ler tratados de Psicologia para manter o casamento. Basta ler a Bíblia. Nela encontramos a Psicologia necessária para uma união saudável. Entre os ensinamentos bíblicos encontramos o de pedir ao Pai o dom da Sabedoria, assim como o fez o rei Salomão.  Dom que o tornou hábil o suficiente para liderar o povo de Deus.
A Sabedoria, segundo a Bíblia, será dada a quem a deseja. “O princípio da Sabedoria é o mais sincero desejo da instrução; a preocupação pela instrução é o amor” (Sb 6,17).
A Sabedoria é divina e concede ao esposo e à esposa o bom-senso e a segurança necessários ao casamento. Ela traz aos corações as virtudes da temperança, da justiça, da prudência, da fortaleza.
Os casais que assumirem a Sabedoria como companheira de vida encontrarão nela uma “conselheira para o bem e conforto nas preocupações e na tristeza (cf. Sb 8,9).
Maria Mãe, que a Sabedoria seja nossa conselheira, hoje e sempre.  Amém!
     
* Cleusa e Alvício Thewes são casados há 28 anos e têm dois filhos. Ela é terapeuta famíliar e especialista em Orientação familiar. Ele, advogado e especialista em família.




Fonte: Familia Crista ed. 951/março2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Sementes do amanhã
A pureza de uma semente crioula deve ser rigorosa para evitar qualquer tipo de contaminação.
Mulheres aprisionadas
Quem tivesse uma Bíblia dentro do campo seria castigada ou mesmo assassinada por enforcamento.
Irmão dos anjos
“O espaço do espírito, o meio onde posso abrir as asas, é o silêncio”(Um sentido para a vida, p.85).
O outro na margem do rio
"Um morador ribeirinho não tem como se deslocar se não possuir um barquinho”.
Viola, nossa viola
Antes utilizada na catequese indígena, hoje a viola caipira une arte, fé e tradição do sertanejo.
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados