Revista Família Cristã - Edição de Novembro/2012

Carta ao leitor


“É morrendo que se vive para a vida eterna.” Neste mês em que grande parte do mundo ocidental celebra o Dia de Todos os Santos e, não por acaso, também o Dia de Finados, não há como deixar de recorrer a esse verso da Oração de São Francisco de Assis para entendermos a aparente irracionalidade da lógica cristã de que há outra vida – bem melhor do que esta, imagina-se – após nossa passagem por este mundo. Não é fácil, ou é praticamente impossível, compreender tal mensagem enquanto ela não for interpretada pela inteligência da fé.

Sim, porque para ter uma fé é preciso certa inteligência, ou um certo inconformismo, para questionar e, às vezes, duvidar a respeito do que os nossos cinco sentidos nos apresentam como fatos incontestes. Nascemos, vivemos (ok, talvez não tanto nem tão bem quanto gostaríamos) e morremos. Eis os fatos que nos são apresentados desde que começamos a entender razoavelmente a vida. Portanto, seria mais fácil e cômodo acreditar que tudo termina aqui e assim. E não explicar mais nada. Ponto final.

Acontece, porém, que para o ser humano nada é tão simples ou tão fácil de ser resolvido. Buscamos respostas e perguntas para tudo. De onde viemos e nos preocupamos com o que vem depois do depois. Queremos saber o que estamos fazendo aqui. Talvez pelo princípio de que não há efeito sem causa, de que nada nesta vida se perde e tudo se transforma, de que cada vez que entramos em um rio somos diferentes – nós e o rio – e que o universo pode ser infinito e o nosso planeta, um asterisco em uma enciclopédia a ser escrita.

Nascemos com inteligência para acreditar em tudo isso. Ou duvidar. E para não aceitar a morte como um fim. Afinal, se assim fosse tudo teria sido fácil demais para um Deus ter se dado ao trabalho de fazer. Não! A vida é absurdamente misteriosa e indecifrável para terminar em um simples ponto final. Parece ser mais razoável, e até mesmo racional, acreditar que é morrendo que se vive para a vida eterna.


Antônio Edson
Redator da Revista Família Cristã
familiacrista@paulinas.com.br



Família
Quando só a morte separa Como enfrentar e se preparar para a realidade da viuvez

Filhos
Obesidade infantil Conheça as causas, consequências e soluções

Entre jovens
Literatura viva Jovens paraibanas descobrem o significado da palavra

Igreja
Pessoas que perderam um ente querido encontram apoio no Ministério Extraordinário da Consolação e da Esperança

Perfil
História que liberta Cidinha e sua vida de dores, lutas, amizade e superação

Panorama
Das margens do Xingu Contradições entre o primitivo e a modernidade

Cultura
Diário de bicicleta Jovem percorre o País em busca do som brasileiro

Compartilhe este conteúdo:





Edições anteriores

Revista Família Cristã - Edição de Dezembro/2012

Revista Família Cristã - Edição de Outubro/2012

Revista Família Cristã - Edição de Setembro/2012

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados