As bases da fé

Data de publicação: 24/07/2018

Por, Nathan Xavier 
 
Método de evangelização pretende atingir principalmente quem está afastado da fé ou quem nunca ouviu falar de cristianismo

As pessoas que trabalham com evangelização sabem que é difícil fazer os participantes as pessoas terem um contato pessoal com Jesus Cristo, pois é disso que se trata no assunto. Doutrinas, discussões filosóficas, ensinamentos bíblicos são necessários, mas apenas estes são frágeis se não se tem um verdadeiro e pessoal encontro com Jesus. Quando se trata de pessoas que têm pouco ou nenhum contato com a fé católica, é ainda mais complicado. E se for jovem? Que o digam os coordenadores de diversos grupos jovens ou de Crisma pelo Brasil afora. Mas, para ajudar nessa tarefa, um método desenvolvido pela Igreja Anglicana e adotado por diversas denominações cristãs pelo mundo, incluindo a Igreja Católica, e apoiado no Brasil pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pode ajudar muito nessa missão. É o curso Alpha.

Estrutura simplificada – As reuniões do curso Alpha são estruturalmente simples. Um jantar ou almoço, lanche, seguido da exposição de um tema com apoio de um vídeo, e a finalização se dá com um espaço aberto para perguntas e debates sobre o tema proposto. E é essa estrutura simplificada uma das chaves do Alpha, que tem no ponto de interrogação seu símbolo. O início com o jantar ou  o lanche serve de pretexto para quebrar o gelo, possibilitando que os participantes se conheçam. E isso que faz muito sentido ao observar que foi também em volta da mesa que Jesus se reuniu tantas vezes com seus discípulos. O corpo físico saciado, sugere-se um outro tipo de alimento.
Cada um dos 12 temas - para adultos são 15 procura levantar as perguntas mais essenciais da vida e do cristianismo, para serem expostas e debatidas. Propositadamente o primeiro é: Vida: será que é só isso?. Todos podem ser realizados com crianças, jovens ou adultos e são desenvolvidos para o “católico não praticante” ou mesmo para as pessoas que nunca adentraram numa igreja e não fazem ideia de quem foi Jesus. Cada reunião é acompanhada de um divertido vídeo, conteúdo jovem, que dura em torno de 20 minutos, criado e produzido especialmente para atingir também públicos de todas as idades. Filmados em diversas partes do mundo, trazem histórias reais e colaboram na exposição de cada tema. Em cada vídeo, três perguntas ajudam nos debates. “Cada um dos doze episódios contém histórias, ilustrações e temas interessantes que ajudam os jovens a pensarem através de quaisquer questões relacionadas às suas vidas”, explica o jovem colombiano Cristian Daniel Suárez Posada, treinador da equipe Alpha Brasil.
Por se basear no chamado kerygma, isto é, a pregação das verdades básicas da fé, comum a todas as religiões cristãs, foi facilmente adotado por outras denominações. Há também uma página especial no site internacional específico para o contexto católico. “O curso Alpha é um instrumento muito importante e válido para dar início à iniciação cristã”, afirma o cardeal dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo emérito de Aparecida (SP). “Ele tem como objetivo atingir os jovens e adultos mais distantes das nossas comunidades paroquiais. Levar as pessoas a um encontro com Jesus Cristo. É claro que, uma vez realizado o curso Alpha, o aprofundamento posterior se dá nas diversas comunidades paroquiais, onde cada um é chamado a aprofundar seus conhecimentos da fé, vivendo melhor sua vida cristã”, conclui.

Forma eficaz – O arcebispo dom Octavio Ruiz, secretário do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, destacou a forma como o curso coincide com o apelo a uma nova evangelização: “Sem dúvida, no campo da Nova Evangelização, está o buscar novos métodos e novas expressões, para que possamos conhecer Cristo e nos apaixonarmos por Ele. Eu acho que é um instrumento providencial, precisamente porque trata de chamar os que estão afastados, indiferentes à sua fé, e, através de um método muito simples e humano, proporciona uma apresentação daquele Cristo que vai gradualmente atingindo o coração”.
É comum encontrar o curso Alpha sendo realizado como iniciação para o curso de Crisma nas diversas paróquias católicas. É uma forma eficaz de dar o pontapé inicial para os temas mais profundos da fé que vêem depois de terminado o Alpha, como se ele preparasse o terreno para plantar a semente do importante Sacramento da Confirmação. José Luiz Rodrigues conheceu o método através do padre Marco Túlio Carvalho, pároco da Paróquia São Vicente de Paulo, no Rio de Janeiro. Ele foi o responsável por aplicar o Alpha no curso de Crisma e estão iniciando a terceira turma este ano com o método. “A resposta dos jovens foi muito positiva. Primeiro porque as reuniões são bem dinâmicas. Eles têm questionamentos que gostariam de ter feito e nunca tiveram a oportunidade e, no Alpha, eles conseguiram. A estrutura de bate papo ajuda a prender a atenção. O objetivo, que é evangelizar, deu muito certo porque eles ficaram interessados.”  Nessa terceira turma, José Luiz explica que abriram o método para quem quiser participar, independentemente do curso de Crisma, desde que tenha de 15 a 21 anos. A ideia é atingir os jovens que vão de vez em quando à missa.
Segundo o trinador Cristian, são mais de 24 milhões de pessoas no mundo inteiro que já realizaram o curso. “O Alpha faz discípulos, e as pessoas se tornam discípulos quando têm um encontro com Jesus e experimentam o Espírito Santo. Como dizia São João Paulo II: ‘Os melhores evangelizadores para os jovens são os próprios jovens’, e por isso o conteúdo das formações se dirige principalmente a pessoas que estão longe da Igreja ou que são novas na fé”, explica. “Para mim, o Alpha é uma metodologia que serve e permite atingir jovens que procuram por Deus de seu jeito, até levá-los a se apaixonar por Deus e a Igreja.”
Quem se interessou por participar ou até mesmo organizar um curso Alpha em sua paróquia ou comunidade, deve se cadastrar no site www.brasil.alpha.org, que contém todos os materiais para download gratuito, incluindo vídeos de treinamento e formação para os organizadores.

História
O Alpha existe há 40 anos! Foi criado pelo reverendo da Igreja Anglicana Nicky Gumbel na Igreja Holy Trinity Brompton, no centro de Londres (Inglaterra). Vendo sua Igreja aos poucos ser esvaziada pelo desinteresse das pessoas pela fé, Nicky percebeu que, mesmo assim, todos ainda possuíam as inquietações de sempre. A vida é só isso? Por que estamos aqui? Ministrando palestras sobre esses assuntos e baseando-se em sua própria experiência de vida, pois se definia ateu durante a adolescência, montou os cursos Alpha.
Durante a década de 1990, o método começou a ser amplamente difundido, inicialmente por todo o Reino Unido e, depois, em nível internacional, à medida que mais Igrejas e grupos encontravam no curso uma forma eficaz de responder às perguntas das pessoas sobre a fé cristã. Em 2014, Nick Gumbel, atual líder do método, juntamente com sua esposa e o arcebispo de Cantuária (Inglaterra), Justin Welby, tiveram a oportunidade de visitar Roma e então cumprimentar o papa Francisco.
O então líder espiritual da Igreja Anglicana discursou ao papa Francisco, destacando a contribuição do Alpha à Igreja Católica: “A sua exortação apostólica Evangelii Gaudium foi uma inspiração para todos os cristãos. A tarefa de fazer discípulos é de suprema urgência, a fim de que a luz de Cristo possa brilhar em todo canto do mundo. Pessoalmente agradeço muito o trabalho do Alpha na evangelização, portanto é de grande significado para mim que tenha encontrado um lugar na Igreja Católica, especialmente na América Latina”.




Fonte: Fc edição 982, Outubro de 2017
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Música transforma
A música e suas influências na saúde mental, física, emocional e comportamental
Jovens nem-nem
Jovens na faixa etária dos 15 a 29 anos que nem trabalham nem estudam.
Das ondas ao altar
Se pregava, era de todo coração; se surfava, era para encarar as maiores ondas.
Somos peregrinos
A Jornada Mundial da Juventude, realizada na cidade do Panamá, país da América Central
Um chamado que faz chamar!
Um chamado que muitas vezes é questionado e rejeitado por um bom tempo, até que se percebe como o profeta Jeremias, que é uma luta desigual
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados