Via Sacra na JMJ

Data de publicação: 27/07/2013



Papa Francisco desafiou os peregrinos a imitarem a Via Sacra

Não há cruz, grande ou pequena, que “o Senhor não venha compartilhar conosco”

Uma grande apresentação teatral na praia de Copacabana contou a Via Sacra para cerca de um milhão e meio de pessoas que acompanhavam o espetáculo. O show terminou com um desafio de Papa Francisco aos peregrinos para que eles se perguntassem com quem se pareciam – Pilatos, Simão Cireneu ou Maria. Depois de uma hora e meia de cenas dramáticas que mostravam o sofrimento de Jesus, embalado pelo som das ondas, o Papa disse aos peregrinos que Cristo estava olhando para eles e perguntando se poderiam ajudá-lo a carregar sua Cruz. O que vocês diriam a ele?“, perguntou.

No caminho para o palco da Jornada Mundial da Juventude, montado nas areias da Praia de Copacabana, Papa Francisco parou várias vezes para saudar os peregrinos, beijar crianças e abençoar as pessoas. Em um momento, abençoou uma imagem de São Francisco e colocou uma pomba na sua mão. Com 13 das 14 estações ao longo de 900 metros da parte central da Avenida Atlântica, e a parte final no palco central, a Via Sacra foi representada por 280 voluntários e narradores. Atores brasileiros também participaram do espetáculo que teve a atriz Cassia Kiss no papel de Maria.

As mensagens de cada uma das estações foram lidas por peregrinos de diferentes perfis: um missionário, um convertido, um ex-usuário de drogas, uma pessoa que representava as mães, um seminarista, alguém do movimento pela vida, um casal de namorados, uma mulher representando as pessoas que sofrem, um jovem que trabalha com redes sociais, um da pastoral penal, um jovem com doença terminal e um jovem deficiente auditivo.

A Via Sacra é uma tradição católica em que se acompanha um dos elementos centrais da fé cristã: o sofrimento e a morte de Jesus na cruz, antes de sua ressurreição. O objetivo da representação  é aumentar a fé, o amor e a compaixão dos peregrinos e inspirar neles o desejo de mudar o mundo. “São mensagens de solidariedade”, disse o diretor artístico Ravel Cabral. “Não é só para falar do calvário, mas para atingir o espírito das pessoas para agirem como cristãos”.

A reflexão da sexta estação, por exemplo, mostrou trabalhadores sem terra, prostitutas, “pessoas excluídas da cultura digital e tratadas com preconceito”. Na oitava estação, mulheres representando diferentes profissões colocaram plantas no chão, enquanto, na nona estação, um cadeirante disse que “ciência e conhecimento muitas vezes me seduzem e me levam a pensar que eu não preciso de você”. Na décima um Cristo ensanguentado contrastou com as luzes dos hotéis iluminados a beira-mar. Na última estação, quando a cruz da Jornada Mundial da Juventude finalmente chegou ao palco, jovens representando a África, América do Norte, Europa, Ásia e Austrália leram orações inspiradas na mensagem final do Concílio de Roma, em 2012.

Na sua reflexão enquanto acompanhava a Via Sacra, Papa Francisco colocou três questões que gostaria que tivessem “eco no coração das pessoas”: “O que vocês terão deixado na Cruz, queridos jovens brasileiros, nestes dois anos em que ela atravessou seu imenso país? E o que terá deixado a Cruz de Jesus em cada um de vocês? E, finalmente, o que esta Cruz ensina para a nossa vida?”.

Em espanhol, disse que a Cruz de Cristo acompanha todos que sofrem. “Com a Cruz, Jesus se une ao silêncio das vítimas da violência, que já não podem clamar, sobretudo os inocentes e indefesos; nela, Jesus se une às famílias que passam por dificuldades, que choram a perda dos seus filhos, ou que sofrem vendo-os presas de paraísos artificiais como a droga”.

“Nela”, ele continuou, “Jesus se une a quem é perseguido pela religião, pelas ideias, ou simplesmente pela cor da pele; nela, Jesus se une a tantos jovens que perderam a confiança nas instituições políticas, por verem egoísmo e corrupção, ou que perderam a fé na Igreja, e até mesmo em Deus, pela incoerência de cristãos e de ministros do Evangelho”.

Papa Francisco disse que a Cruz era “um amor tão grande que entra no nosso pecado e o perdoa, entra no nosso sofrimento e nos dá a força para poder levá-lo”. Na Cruz, ele disse, “está todo o amor de Deus e sua imensa misericórdia”, e que “não há cruz, pequena ou grande da nossa vida que o Senhor não venha compartilhar conosco”.

Finalmente, assinalou que a Cruz “nos ensina a ser como Cireneu, que ajuda Jesus levar aquele madeiro pesado, como Maria e outras mulheres, que não tiveram que não tiveram medo de acompanhar Jesus até o final, com amor, com ternura”.

“E você?”, ele perguntou. “Como é? Como Pilatos, como o Cireneu, como Maria?”

Também estavam com Papa Francisco no palco, a pedido dele, 35 representantes dos trabalhadores do aterro sanitário (catadores) da Argentina.

Via Sacra

A Via Sacra é uma tradição católica em que se acompanha um dos elementos centrais da fé cristã: o sofrimento e a morte de Jesus na cruz, antes de sua ressurreição. O objetivo da representação, encenada na praia de Copacabana durante a Jornada Mundial da Juventude, na presença do Papa Francisco, é aumentar a fé, o amor e a compaixão dos peregrinos e inspirar neles o desejo de mudar o mundo.

Segundo os responsáveis pelo evento, a intenção é “fazer com que as pessoas percebam que a vida não termina com a morte. Que Deus nos amou e Cristo veio ao mundo, morreu e ressuscitou para ensinar-nos isso”.

A Cruz será carregada por 14 estações, que representam o caminho de Jesus no calvário e incluem apresentações artísticas para facilitar o entendimento. Ao final de cada uma, será lido um texto para meditação. Os narradores têm diferentes perfis para fazer com que todos os peregrinos se sintam representados.

Há um missionário, um convertido, um dependente químico recuperado, uma jovem falando pelas mães, um seminarista, uma religiosa que luta em defesa da vida, um jovem casal de namorados, uma jovem que representa as mulheres que sofrem, um jovem cadeirante, um que trabalha com as redes sociais, um jovem da pastoral penal, um jovem com uma doença terminal, um jovem com deficiência auditiva e, por fim, na última estação, estarão jovens da África, América do Norte, América Latina, Caribe, Europa, Asia e Austrália.

A primeira estação (Jesus é condenado) é um castelo romano com uma rampa que leva ao cenário em que Pôncio Pilatos, governador romano, aparece e lava as mãos, no famoso gesto de quem não se responsabiliza pelo que vai acontecer. A segunda (Jesus carrega a sua cruz) é no pátio do palácio, onde oito pessoas andam com cruzes negras com nomes escritos. No caminho da terceira estação (Jesus cai pela primeira vez), a cruz será levada por 30 pessoas em peregrinação. Há ainda uma estátua humana. A quarta estação (Jesus encontra com sua mãe) tem dez mulheres com seus filhos. Na quinta (Simão Cirineu ajuda Jesus a levar a cruz), vinte crianças entre 7 e 10 anos vestidos como anjos. Na sequência (Verônica seca o rosto de Jesus), um grupo de 25 mulheres entra como em um coro grego com lenços sobre os rostos, expressando sua dor. Na sétima estação (Jesus cai pela segunda vez), 12 casais representam os trabalhadores. A oitava (Jesus consola as mulheres em Jerusalém), os objetos são feitos de materiais orgânicos. A nona (Jesus cai pela terceira vez) terá a participação de 20 motociclistas, enquanto na décimo (Jesus é despojado de suas vestes), Jesus aparece aparece com uma túnica suja e rasgada, mostrando seu sofrimento.

No décimo-primeiro (Jesus na cruz) estarão 20 jovens de terno e gravata, enquanto no décimo-segundo (Jesus morre na cruz), há 20 enfermeiros. No décimo-terceiro (Jesus é descido da cruz), surdos aparecem e se comunicam na linguagem de sinais, enquanto no palco haverá uma representação da Pietá. A última estação (Jesus é sepultado) será já no palco principal, que estará cheio de pessoas representando o mundo.

Equipe Via Sacra:
Autores dos textos: José Fernandes de Oliveira (Padre Zezinho) e João Carlos Almeida (Padre Joãozinho)
Direção: Ravel Cabral
Direção de Movimento: Janice Botelho
Direção Musical: Roger Henri
Cenografia: Abel Gomes
Concepção e Direção Geral: Ulysses Cruz




Fonte: JMJ Rio2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

O sabor da praticidade
Receitas de pratos rápidos, ideais para fazer naqueles dias intensos de trabalho
Uma vida nova em Cristo
O Círio Pascal recorda que Cristo é a luz do mundo
TOD à luz da escuta de Baco
Transtorno Opositivo Desafiador, conheça esta doença
Páscoa em família
Receias deliciosas para o almoço de Páscoa
Idosos x convivência familiar
Dicas para uma boa convivência familiar com idosos
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados