Ter saúde é cuidar da vida

Data de publicação: 11/12/2017

Por Karla Maria


Alimentar-se bem, exercitar-se, conhecer-se a si mesmo, ter fé e amar são alguns dos passos para uma vida mais saudável

Saúde! É o que prega a mãe ao ouvir o espirro do filho e é o que desejamos aos amigos e familiares ao celebrar mais um ano de vida, o que nos leva a pensar que se estamos livres de doenças estamos com saúde, certo? Não, totalmente. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter saúde significa estar em completo bem-estar físico, mental e social, e isso o caro leitor há de convir, seria a vida perfeita.
Como conquistar esta saúde? Primeiro é necessário rever pequenos hábitos diários que fazem do dia a dia um roteiro de filme de cinema, de sobrevivência com as inúmeras e diferentes atividades e compromissos. “A correria do mundo moderno muitas vezes é usada para justificar maus hábitos”, afirma a nutricionista Ana Cristina de Souza, e um deles certamente encontra-se na alimentação.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular, atualmente 65,3% da população brasileira se alimenta fora de casa. Os dados apontam um baixo consumo de frutas, verduras e legumes e elevada ingestão de bebidas com adição de açúcar, sucos, refrigerantes, além de citar que mais de 70% da população consome quantidades superiores ao valor máximo de ingestão tolerável para o sódio, assim como também há um consumo excessivo de gordura saturada (82%).
Para Ana Cristina, ainda que o dia a dia imponha a alimentação fora de casa, é possível fazer escolhas acertadas. “Mesmo diante do balcão de um self-service podemos fazer escolhas saudáveis. Como comemos com os olhos, uma boa dica é começar a montar o prato pela salada, pode ser bem colorida com folhas e legumes, e nada de dizer que não gosta disso ou daquilo sem antes experimentar”, lembra a nutricionista, que sugere a troca de molhos por azeite e limão ou vinagre para o tempero. Para os pratos quentes, indica a antiga combinação do “velho e bom arroz com feijão” e uma fonte de proteína (carne, frango ou peixe), sempre dando preferência aos assados ou grelhados, longe de frituras.
“Através da alimentação, obtemos o ‘combustível’ para todas as atividades realizadas pelo nosso corpo. O café da manhã, dispensado por várias pessoas, é muito importante”, afirma a nutricionista Andreia Bergmann.

Atividades físicas − Enquanto Andreia sugere boa alimentação para a queima do combustível, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registra que 80% dos brasileiros são sedentários e, portanto, reservem essa gordura, o que preocupa o educador físico Caio Vinícius de Souza, da Assessoria Esportiva Marcos Paulo Reis. “Na busca por qualidade de vida, a atividade física se encontra num grau de grande importância, porque seus aspectos se relacionam. Numa escala de valores, coloco em 33%.”
Hábitos diários, como o uso de escadas e em vez de elevadores, levantar-se para trocar o canal da televisão, trocar o carro pelo tênis nos pequenos percursos até a padaria ou mercado. Atividades físicas oferecem vários benefícios: além de melhorar o visual, melhora a postura e combate o excesso de peso que hoje, também segundo o IBGE, atinge 50,1% dos homens e 48% das mulheres brasileiras. Também previne doenças, pois melhora o sistema imunológico, afastando e reduzindo efeitos de cardiopatias, estresse, obesidade, osteoporose, hipertensão arterial, deficiências respiratórias, problemas circulatórios, diabetes e alterações das taxas de colesterol.

Fé, bom para a saúde − Para falar sobre a saúde do coração, procuramos Roque Marcos Savioli, cardiologista e clínico geral que, na busca por uma vida saudável, orienta que se deve nutrir o cuidado com o lado espiritual, além de uma boa alimentação e atividade física.
Dr. Savioli desenvolve uma pesquisa no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo (SP), na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que compara o índice de espiritualidade, a escala de depressão e os índices de qualidade de vida em pacientes do ambulatório de cardiogeratria, e as notícias enfim, são boas, ao menos aos que têm fé. “Os resultados iniciais revelam que pessoas com fé apresentam menores índices de depressão e melhor qualidade de vida. As pesquisas que comparam indivíduos com fé e evolução de doenças são categóricas em afirmar que a fé tem grande importância na saúde”, conclui o médico.
Segundo o especialista, as emoções tanto positivas como negativas exercem efeitos sobre a saúde, podendo levar à doença cardiovascular – infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. Mas como encontrar equilíbrio nas emoções e viver a fé no dia a dia, em meio ao barulho e agito das cidades e dos problemas? Como encontrar a tal paz interior? Para o Jesuíta André Luís de Araújo e Vanessa Araújo Correia, ambos do Centro de Juventude e Vocações Anchietanum, é necessário ter uma disposição interna. “Silenciar-se, procurando ouvir os apelos que vêm ao coração, tendo em conta que somos afetados todo o tempo por sentimentos e acontecimentos que não deveriam determinar, necessariamente, nossas ações.”
Silenciar-se... Especialistas sugerem uma parada ao longo dia, por cinco minutos, para o encontro pessoal com a força superior e interior. Aos católicos, além do encontro no Sacramentos, uma parada para o encontro com Deus: um diálogo silencioso ao contemplar a natureza, ou ainda parado no trânsito. Um tercinho na bolsa, no bolso, também garante companhia, diálogo e paz.
“Vale lembrar que a prática da espiritualidade não pode estar a serviço da eficácia e da busca de resultados meramente individuais e voluntários. Pede, isso sim, que todas as dimensões da vida da pessoa estejam implicadas nessa tarefa”, recordam André e Vanessa Araújo.

A saúde e o outro − Para Márcia Elizabeth dos Santos, psicóloga e psicodramatista, o diálogo em sociedade, a troca de ideias, o convívio com o próximo também é imprescindível para o bem-estar do indivíduo. “As relações e interações sociais são fundamentais para o desenvolvimento e a manutenção da saúde mental e física da pessoa, pois o ser humano é um ser social, relacional. Ele não nasceu para estar sozinho, isolado, mas para estar e ser com o outro.”
Depressão e isolacionismo são características presentes na sociedade. No País, 12% da população, cerca de 23 milhões de pessoas, necessita de algum atendimento devido a depressão, ansiedade e transtornos de ajustamento. Márcia lembra que pesquisas científicas realizadas em mamíferos apontam que, quando isolados, os mamíferos adoecem e morrem. “Conosco, seres humanos, o mesmo acontece. Quando visitamos abrigos de crianças que foram deixadas pelos pais ou de idosos vemos, tristemente, a autoestima ferida, a tristeza transparecendo no semblante de algumas dessas pessoas. Isso acontece porque queremos e necessitamos do amor do outro, do seu carinho, de acolhida, aceitação.”

Box 1
Para uma vida saudável, se alimente bem

Por Ana Cristina Zilotti de Souza, nutricionista

Não pule as refeições
Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar).

Consuma fontes de cálcio
Consuma diariamente três porções de leite e derivados (queijo, iogurtes e requeijão).

Diminua o consumo de gordura
Retire a gordura aparente das carnes e peles de aves antes de preparar; restrinja o consumo de salames, mortadelas, linguiças e bacon.

Controle o consumo de açúcar
Evite o consumo diário de refrigerante, sucos industrializados, prefira água (2 litros por dia). Evite também bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas, chocolates e outras guloseimas.

Consuma fibras
Dê preferência aos cereais e massas integrais, como arroz, milho, trigo, pães e massas. Consuma frutas e verduras diariamente.

Box 2
Mova-se para o bem

Por Caio Vinícius, educador físico

Caminhe mais
Ande mais durante o dia, evite escadas rolantes, elevadores, controle remoto de aparelhos eletrônicos. Troque seu carro pelo seu tênis.

Alongue-se
Realize alongamentos durante o dia.

Alimente-se bem
Tenha uma boa alimentação de três em três horas, alimentos mais saudáveis sem frituras, gorduras, doces etc...

Durma bem
Durma diariamente no mínimo seis horas e no máximo oito horas

Leia mais
Leia pelo menos um livro por mês

Box3
Cuide do seu coração
Por Roque M. Savioli, cardiologista
Coma bem
Tenha uma alimentação saudável.

Exercite-se
Faça atividade física com regularidade e segundo orientação do seu médico.

Tome seu remedinho
Tome religiosamente as medicações prescritas pelo seu médico

Faça check-up
Realize check-up anual após os 40 anos de idade.

Box4
Descubra-se para si e para o próximo
Por André Luís de Araújo e Vanessa Araújo Correia – Centro de Juventude e Vocações Anchietanum

Silencie
Agradeça, primeiramente, os dons recebidos e silencie-se. Procure ouvir os apelos que vêm ao coração, tendo em conta que somos afetados o tempo todo por sentimentos e acontecimentos que não deveriam determinar, necessariamente, nossas ações.

Seja generoso
Aprenda a cultivar a esperança que nos moverá a realizar um processo honesto de verificação dos movimentos internos que vão surgindo em nós, à medida que nos propomos a sonhar com um projeto de vida.

Conheça a si mesmo
Tenha clareza e distinção a respeito do que se quer – identificar e organizar o que se deseja, em função das decisões a serem tomadas e do discernimento feito.

Mude
Busque os recursos e as ajudas necessárias à efetivação das mudanças almejadas.

Avalie-se
Faça memória de toda a trajetória empreendida, cultivando o hábito de examinar-se afetivamente, para dar-se conta de como se está, agradecendo também os dons recebidos, todo o bem que aconteceu em você e no mundo, buscando e empenhando-se, de fato, para realizar o que for necessário.

 Reze
Cuide da sua vida espiritual.

Box5
Valorize a si e a vida
Márcia Elizabeth dos Santos, psicóloga e psicodramatista

Conheça-se
É fundamental que as pessoas enxerguem e conheçam não apenas a sua luz, mas a sua escuridão humana também, as características que as fazem sofrer. Somente encarando a sua própria escuridão é que serão capazes de serem mais luz do que escuridão, e mais saudáveis mental e emocionalmente, com condições de amar a si mesmas e o outro.

Escute-se
Saiba escutar seus sentimentos, necessidades. Conheça sua vocação, habilidades e talentos.

Valorize
Valorize as pequenas coisas e os pequenos acontecimentos no dia a dia.

Agradeça
Agradeça pela vida, pelo que se tem.

Conviva
Conviva e interaja com as pessoas, escute-as, conheça suas histórias.





Fonte: fc edição 929-maio 2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

TOD à luz da escuta de Baco
Transtorno Opositivo Desafiador, conheça esta doença
Doenças autoimunes
Quando nosso sistema imunológico se desequilibra, entram em cena as doenças autoimunes
Você cuida bem da sua audição?
A saúde da nossa audição é também questão de bem-estar
Sinusite ou rinite?
Tanto a sinusite como a rinite são inflamações que afetam as mesmas regiões do corpo.
SAÚDE
A biotecnologia é uma ferramenta e, como tal, deve ser cuidadosamente examinada.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados