BUSCA

A urgência da redescoberta dos símbolos

Data de publicação: 29/09/2006

imprimir

Trailer



A saúde da religião depende da vitalidade com que os símbolos religiosos são vividos.

O símbolo é o terreno preferido do mundo do não sensível em todas as suas formas, desde a interioridade ou o inconsciente até as questões de sentido. Mas na atual sociedade de mercado e das sensações, o símbolo corre perigo. A proliferação de imagens que expõem tudo o que se quer o mata. Mais do que nunca precisamos recuperá-lo para que a vida não se banalize, o pensamento rompa a casca da superfície e que a religião seja autêntica mediadora do mistério.

Atento aos problemas que a sociedade e a cultura modernas suscitam na relação com o cristianismo, o sociólogo e teólogo José María Mardones analisa em A vida do símbolo, livro de Paulinas, a dimensão simbólica em um de seus âmbitos mais expressivos: o religioso. Toda religião é um universo simbólico. Nossa época ressente-se da indiferença e da incredulidade e temos de revitalizar a dimensão simbólica no cristianismo, se este quiser responder aos desafios da sensibilidade atual e, sobretudo, ser fiel a si mesmo.

A obra de Mardones é uma tentativa de resgatar o simbólico na cultura da modernidade, visando ao esclarecimento da dimensão transcendente da vida humana e à saúde da religião, que depende da vitalidade com que os símbolos religiosos são vividos. A fé é uma vida que se nutre do universo simbólico. Ao se colocar o problema de Deus, vem à tona aquilo que está sendo cada vez mais amplamente denunciado como uma deficiência da modernidade: o esquecimento do símbolo.

Se quisermos superar o estreitamento racional e vital que conduziu à barbárie do século XX e que está presente na exclusão social de um sistema único do funcionamento globalizado do mercado, teremos que, também, recuperar um tipo de vida e experiência em que a profundidade à qual se abre o simbolismo rompa a estreiteza prática da civilização. Recuperar o símbolo significa, finalmente, mudar o estilo de vida.

Na época do pensamento desiludido, o crente é chamado a não se desesperar da razão nem se apoiar em infantilismos religiosos. Em um momento em que se vislumbra a emergência de um novo paradigma da racionalidade, o presente ensaio incentiva e estimula o exercício de uma razão não unilateral, mas aberta ao simbólico e enraizada no mundo da evocação e da corporeidade, consciente de sua relação constitutiva e vital com a tradição, e sensível à alteridade da interpretação do Outro no rosto humano das vítimas da história.

Título: A vida do símbolo - A dimensão simbólica da religião
Autor: José Maria Mardones
Editora: Paulinas
Coleção: Espaço filosófico
Páginas: 264
Preço: R$ 33,90
Formato: 15,5 x 23,0
Código: 50913-2
ISBN: 85-356-1713-2

Sala de Imprensa
Paulinas Editora
Malu Delmira, Ir. Sofia, fsp e J. Fátima Gonçalves
www.paulinas.org.br/sala_imprensa
imprensa@paulinas.com.br



Fonte: Paulinas
Postado por: Administrador

Galeria de Imagens





Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Um anjo também para você
O livro “Um anjo também para você”, de Anna Maria Cànopi, lançamento da Paulinas Editora, explica as citações dos anjos no Novo Testamento, bem como traz comentários da autora com aspectos humanos da experiência da fé.

O gatinho fofoqueiro
O livro aborda de forma criativa a importância da honestidade e os danos que uma fofoca pode causar

A menina que fazia barquinhos de papel
Paulinas lança livro infantil sobre a Padroeira dos Imigrantes

Círculo bíblico missionário
Paulinas lança roteiro detalhado que auxilia nos encontros de estudos bíblicos.

Homilia - Espaço para comunicar esperança
“Homilia – Espaço para comunicar esperança”, lançamento da Paulinas Editora, mostra a importância da comunicação do Evangelho por meio da homilia nas celebrações.

Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados