BUSCA

São Luís tem festa em dobro para comemorar os 90 anos de presença no Brasil e 42 anos de missão em terras maranhenses

Data de publicação: 26/08/2021

imprimir

Trailer





A missa em ação de graças pelo marco histórico foi presidida pelo arcebispo de São Luís, Dom Gilberto Pastana de Oliveira, na tarde da segunda-feira (23), no Centro de Evangelização e Cultura da Paulinas, localizado na Rua de Santana, 499, Centro - São Luís, capital maranhense.

Seguindo todas as recomendações dos órgãos de saúde contra a Covid-19, os clientes, amigos, religiosos, religiosas, equipe litúrgica e demais convidados celebraram o momento com muita oração, agradecimentos e participação. Aos que não puderam comparecer presencialmente ao evento, foram disponibilizados, por meio das redes sociais (Facebook Paulinas - São Luís - encurtador.com.br/prEW2 e Instagram: paulinas.saoluis: encurtador.com.br/fosHK), links de acesso e interação, seguindo o nosso tema de motivação: Paulinas, sempre perto de você!

Para o arcebispo de São Luís, Dom Pastana, a pluralidade é rica quando não perde a unidade, como diz São Paulo. É o Senhor que tem de ser anunciado e proclamado... Hoje estamos celebrando os 90 anos da Família Paulina no Brasil e 42 anos no Maranhão. “A grande missão da Paulinas é oferecer o tesouro valioso e escondido. Quero crer que nós já tenhamos encontrado esse tesouro, que é Jesus Cristo. Mas não queremos esse tesouro só pra nós. Então, a missão através das livrarias, dos audiovisuais, dos livros e das demais produções da editora permitem queque  você possa descobrir o tesouro. Ou apontar que aqui está o Tesouro - a Palavra. E oferecer esse tesouro a todos! Facilitar na compreensão, no entendimento etc., oferecer por meio dos livros aquilo que pode edificar, aquilo que pode construir uma vida humana, uma vida cristã, e, ao mesmo tempo, ajudar o povo a discernir o que é melhor, o que edifica, isso tudo alicerçado em valores que promovem dignidade ao homem... Paulinas oferece inúmeras possibilidades de se compreender e perceber o tesouro do Reino, aqui na terra, e ajuda o ser humano a vislumbrar as maravilhas de Deus. Estas anunciadas, demonstradas e visibilizadas pelo seu Filho Jesus Cristo, que é Caminho, Verdade e Vida”, ressalta Dom Pastana.

Na sua fala de abertura e de boas-vindas, a gerente da Paulinas de São Luís, irmã Janete Leal, fsp, em uma breve síntese historiográfica, ressalta: “O momento celebrativo neste Centro de Evangelização, com todos os convidados e a presença especial de Dom Gilberto Pastana, arcebispo de São Luís, é momento de graças para louvarmos e agradecermos a Deus pelos 90 anos de Paulinas no Brasil, e destes, 42 anos no estado do Maranhão”. Leal, apontando sempre para a imagem ao lado da Venerável irmã Tecla Merlo (cofundadora e primeira superiora-geral das Filhas de São Paulo), enfatizou, no seu breve discurso, a fala do fundador da Família Paulina, o Bem-aventurado padre Tiago Alberione, que diz: “A mão de Deus sempre nos conduziu e nos conduzirá”. Irmã Janete destaca a importância do  momento com outra fala conhecida na Congregação das irmãs Paulinas: “Porque a história da Congregação emana da oração e da dedicação de cada irmã Paulina que se oferece a Deus, alimentada pela Palavra e pela Eucaristia”, frase repetida milhares de vezes por irmã Dolores Baldi, a primeira missionária Paulina a deixar a Itália. Irmã Dolores chegou ao Brasil no dia 21 de outubro de 1931, à cidade de São Paulo, e ali iniciou a missão com a mesma singeleza e humildade simbolizadas na pobreza de Belém. Ressaltando sempre que “tudo é obra de Deus”, ela sempre estava na companhia de uma Bíblia e do seu inseparável crucifixo, na certeza da missão de viver e comunicar Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, com os meios de comunicação atuais e os novos meios que o progresso oferecer, assim como fizeram Maria, Rainha dos Apóstolos, São Paulo Apóstolo e Santa Rosa de Lima, que ofereceram Jesus Mestre Divino ao mundo de ontem, de hoje e de sempre.

A história no Maranhão se dá pelo acolhimento da Igreja (Arquidiocese de São Luís), das Irmãs Doroteias, dos colaboradores, dos cooperadores, dos clientes, amigos e admiradores da Paulinas ao longo desses 42 anos nessas terras de belezas e riquezas cativantes. E de gente hospitaleira e vibrante, tanto quanto os sons dos tambores das festanças juninas que alegram a alma e corações, finaliza a gerente.

A festa na Paulinas não se encerra neste mês das vocações. Para festejar esse marco histórico da presença de Paulinas no Brasil, no mês de agosto, em todas as Paulinas Livrarias, está sendo trabalhada a Vocação. Em setembro, o destaque será a Palavra, momento também em que a Igreja no Brasil celebra os 50 anos de instituição do Mês da Bíblia. E, em outubro, o destaque fica por conta da importante Missão de Paulinas, em território brasileiro, de levar a comunicação a serviço da vida e do Evangelho para todos os povos!

Paulinas, sempre perto de você!




Fonte: sala de imprensa
Postado por: Sala de Imprensa



Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Corpus Christi: entenda esta data!
15 de junho. Mais um feriado nacional! Pausa na rotina de grande parte dos trabalhadores brasileiros, católicos ou não, oportunidade para viagens, lazer, descanso... Mas o que significa esta data religiosa? O que se comemora? Quando e por que foi instituí

Vire a noite em uma balada com Electrocristo
No próximo dia 23, das 22 horas às 7 da manhã, a Represa de Guarapiranga vai servir de palco para a primeira rave católica do País

"A liturgia sem o silêncio é estéril, superficial, banal, vazia."
A manhã de 27 de maio, sábado, ficou curta diante do interesse e envolvimento dos cerca de 80 participantes do curso Comunicação na liturgia, a cargo do teólogo e filósofo Padre Agnaldo José.

Um silêncio pesado e desconcertante
"Além da espada e da fome, existe uma tragédia maior, aquela do silêncio de Deus, que não se revela mais e parece estar fechado em seu céu, como que desgostoso do agir da humanidade...". Estas palavras de João Paulo II serviram de inspiração para este liv

O desafio de lidar com as diferenças em sala de aula
Virou chavão falar que "todos somos iguais". Somos mesmo? As diversidades existem e não são males: o aluno desatento, o mais assíduo, o carente por afeto... Diferenças causam grandes problemas sociais: a escola não foge ao modelo social, e nela, velada ou

Início Anterior 276 277 278 279 280 281 282 283 284 285 286 287 288 289 290 291 292 293 294 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados