BUSCA

Das origens para o mundo – Há 90 anos Paulinas marca presença missionária em terras brasileiras

Data de publicação: 27/10/2021

imprimir

Trailer




Uma celebração eucarística com cenas historiográficas e resgate de memórias marca a festa de 90 anos da Paulinas no Brasil, celebrada na filial de São Luís do Maranhão, na tarde de quinta-feira (21 de outubro de 2021), no Centro de Evangelização da Paulinas Livraria. Marcaram presença na celebração as Irmãs Paulinas, os colaboradores, cooperadores, amigos, admiradores e clientes, que renderam graças e louvaram a Deus pelo momento histórico, evangelizador e transformador de vidas ao longo das nove décadas.

Em uma manhã chuvosa de quarta-feira (21 de outubro de 1931), ao porto de Santos, litoral do estado de São Paulo, chegava a irmã Dolores Baldi, fsp. A primeira missionária paulina a desbravar fronteiras e levar o Evangelho de Jesus Mestre a todos os povos por meio da comunicação social e seus progressos, acompanhando sempre os avanços da ciência e o desenvolvimento dos novos meios tecnológicos.

Na simplicidade de Belém e numa humildade singular, a filha de São Paulo, cheia de fé, confiança e amor, tinha a grande missão de, a partir daquele ano (1931), visibilizar e promover ações, que ganharam formas e saíram do papel, chegando aos dias de hoje reconfiguradas mediante os avanços do progresso, e, assim, proclamar a Palavra aos homens de boa vontade!

Pelo linear dos fatos históricos, a irmã Dolores dava sinais de que era uma mulher profética, que tinha a sensibilidade e a humanização a correr em todos os sentidos do corpo, e assim demonstrava compreender os augúrios contidos na célebre frase de sua primeira mestra, a irmã Tecla Merlo, que dizia querer ter “mil vidas para o Evangelho”. Uma frase com palavras proféticas, semeadas em terra fértil e ecoadas por vozes maviosas e cheias de dons e carismas, presentes até os dias de hoje.

Seguia as orientações do fundador da Família Paulina, o Bem-aventurado padre Tiago Alberione, e da primeira mestra irmã Tecla, e ambos conheciam muito bem aquela jovem. Ela, a irmã Dolores, ainda adolescente transbordava em ações e gestos o ardor missionário... E, assim, ao mesmo tempo em silêncio, para escutar a voz do profeta, se precisasse vestir tecido de qualquer cor para aquecer o corpo ou conviver na paz, podendo ser vermelho, amarelo etc., não haveria problema nenhum, como havia orientado o fundador das Filhas de São Paulo. Naquela época, a congregação estava com apenas 16 anos de fundação e dava um grande salto histórico em nível mundial, propagando o Evangelho de Jesus Cristo com os meios de comunicação.

Observado o caminhar da missão e o angular pelos olhos da fé e do social, o vestir-se das cores é de um simbolismo forte e profético, pois o mês de outubro é também mês missionário, e as cinco cores também representam os continentes e avivam o ardor missionário da Igreja, que é movida pela ação do Santo Espírito. Hoje, a Paulinas está presente em todos os continentes. Em terras brasileiras, a Paulinas nasce pequenininha, feito semente de mostarda... No campo da semiótica, as cores avivam lembranças, conectam os homens, despertando-os para as ações do mundo da vida. Nas misturas das cores, podemos dizer que há um entrelaçar de vida e beleza. Um misturar feito por mãos dedicadas e firmes, mãos de gente com vontade de segurar e conduzir a Palavra e proclamá-la, fazendo uso de ideias criativas, do conhecimento cultural e das tradições e línguas.

Depois da Itália, o Brasil foi o primeiro país a receber uma irmã paulina! Deus conhece seus filhos e filhas, prepara seus proclamadores desde o ventre materno. Por mais desafiantes que sejam os fatos da vida, o desejo ardente e a vontade de ser missionária eram o combustível que movia as forças vitais e a essência da vida de irmã Dolores Baldi.

Com uma Bíblia nas mãos, um terço, um crucifixo, fé e determinação, a irmã Dolores confiava e dizia: “Tudo é obra de Deus”. Esse ardor profético era marca da sua vida missionária. E assim ela vai fazendo uso dos mais diversos meios de comunicação e dos areópagos modernos para propagar as maravilhas de Deus.

Em clima de festa e gratidão, a cooperadora paulina e apresentadora do programa Hora Vocacional Paulinas-SLZ Conceição Silva saúda a todos os presentes na celebração: as Irmãs Paulinas, o celebrante padre Jadson Borba e Silva (coordenador da Ação Evangelizadora Missionária da Arquidiocese de São Luís-MA), o concelebrante padre Rodrigo Gutemberg (reitor do seminário São João Maria Vianney de São Luís e animador vocacional) e os clientes e amigos presentes no Centro de Evangelização e Cultura da Paulinas Livraria de São Luís.

Com a Palavra nas mãos, vestida de hábito religioso preto, um terço e um crucifixo, a psicóloga e cooperadora paulina Celeste Silva entra em cena no momento da Entronização da Palavra (Bíblia), representando a irmã Dolores Baldi chegando ao Brasil. Momento bonito encenado com pura delicadeza e entrega.

A irmã Janete Leal, fsp, gerente da livraria, dá início a sua fala agradecendo e saudando as pessoas presentes na celebração eucarística e as que acompanhavam o evento por meio das redes sociais: “Irmãs e irmãos, é para nós motivo de alegria e gratidão, hoje, 21 de outubro de 2021, a Paulinas celebrar 90 anos de missão em terras brasileiras. Missão iniciada por irmã Dolores Baldi, fsp, com total amor e dedicação à obra missionária da Congregação das Irmãs Paulinas, que tem chegado a muita gente e feito morada em muitos corações. Somos comunicadoras do Evangelho de Jesus de Cristo. Tudo começa numa simplicidade e na pobreza de Belém. Ela, a irmã Dolores Baldi, tinha consciência de sua pequenez, sendo instrumento nas mãos de Deus. Nada era obra sua, mas ‘Tudo é obra de Deus’, como proclamava irmã Dolores, que, meses depois, em dezembro de 1931, recebia a companhia missionária da irmã Stefania Cillario. Gratidão às irmãs por confiarem nas palavras e no convite do fundador da Família Paulina, o Bem-aventurado padre Tiago Alberione, e da cofundadora irmã Tecla Merlo. Hoje celebramos esse marco histórico que muito nos alegra! E muito temos contribuído com a Igreja no Brasil, formando cidadãos nos mais diversos campos sociais deste país”, ressalta a irmã Janete Leal.

O padre Jadson Borba e Silva, durante a homilia, externa em palavras de afeto e gratidão o importante papel que a Paulinas vem prestando à sociedade brasileira, de modo especial à Igreja: “São 90 anos de vocação, palavra e missão. Noventa anos de evangelização! A liturgia começa com a palavra ‘feliz’... Eu digo mais, felizes também são aqueles que seguem os desígnios do Senhor! São homens e mulheres vigorosos na esperança, na fé e na caridade... Somos chamados a dar frutos. No Evangelho de hoje, Jesus mostra que veio trazer a paz. As Irmãs Paulinas, por meio da livraria e de suas obras publicadas, ajudam o povo a descobrir e encontrar a Paz Verdadeira. E ao encontrarmos, faz arder nossos corações, ainda mais quando nos aproximamos do projeto de Jesus... A vocação não é nossa. A origem de todas as vocações é Deus. A iniciativa é de Deus, nós somos instrumentos nessa vocação... A Palavra, por si só, não tem condições de caminhar sozinha; ela precisa de nós, homens e mulheres, para levá-la a quem precisa escutar e depois anunciá-la, assim como olhamos a chegada da cooperadora paulina representando a irmã Dolores, a primeira missionária. A missão se dá em saída, quando vamos ao encontro do outro que tem sede de conhecer Jesus e damos voz aos que precisam, sem segregar ou afastar, mas unindo. Fazer a experiência do encontro! A Paulinas Livraria é um lugar que emana evangelização, amor, esperança e alegria, e busca, a cada dia, atualizar as pessoas, promover belezas e comunicar a vida! Parabéns, Paulinas! Parabéns, Irmãs Paulinas, aos colaboradores, aos cooperadores, clientes e amigos! Noventa anos de evangelização e missão! Muito obrigado”, agradece o padre Jadson.

Para a animadora vocacional paulina e dinamizadora do programa on-line “Hora Vocacional Paulinas – Rezando com @ PALAVRA pelas vocações”, que vai ao ar às quintas-feiras, às 10 horas da manhã, irmã Cicera Gomes, fsp, o momento é de alegria: “Sou feliz por ser uma irmã paulina, missionária da Palavra. Uma filha de São Paulo, a exemplo da primeira mestra Tecla e da primeira missionária, a irmã Dolores Baldi. É uma alegria poder partilhar e agradecer a Deus por este belo e histórico momento. Neste dia, 21 de outubro, estamos celebrando 90 anos de presença da Paulinas no Brasil. Aqui, no Maranhão, já estou pela segunda vez, e neste estado a missão Paulinas está presente há 42 anos. Reafirmo, mais uma vez: eu estou muito feliz e realizada por poder partilhar e agradecer a Deus por este momento. Assim como falou o padre Jadson, a missão é de Deus, é de Jesus, e eu aceitei o convite do Mestre. Foi Ele, Jesus, quem me chamou, assim como fez com a irmã Dolores. Busco viver a caridade e a humildade, dando sempre o melhor de mim a Deus e aos irmãos. Sejamos humildes, a minha mãe me ensinou isso, que condiz muito com a missão e os ensinamentos de Cristo! Somos Igreja em saída. Na minha simplicidade, busco dar o melhor para Jesus e para as pessoas. O Reino de Deus precisa dos nossos pés, do meu amor e dos nossos corações, das nossas ações verdadeiras; precisa de todos, em especial das jovens, dos jovens... Vocação, eu digo sim! Hoje, o céu e a terra se encontraram nesta belíssima celebração. Tivemos até a presença simbólica da irmã Dolores, representada pela cooperadora paulina Celeste Silva. Deus nos abençoe sempre”, finaliza a irmã Cicera Gomes.

O momento, além de belo, é histórico para todas as Irmãs Paulinas, as comunicadoras do Evangelho de Jesus Cristo, que, há 90 anos em missão em terras brasileiras, vêm inovando sempre, conectadas com o futuro, fazendo tudo como inspira o Grande Mestre, Jesus Cristo, e seguindo os pilares das origens de ontem, inspiradas em momentos de oração e adoração eucarística, alimentadas pela Palavra, pela entrega total e pela comunhão dos fundadores da congregação e de todos os envolvidos em propagar as belezas de Deus. Com muita responsabilidade e muito amor, visibilizam, por meio de ricos trabalhos, do conhecimento, da cultura, da pluralidade, da educação, da inclusão e da evangelização, as “obras que promovem vidas” e que são produzidas pelas Filhas de São Paulo presentes no Brasil e devolvidas ao povo em um gesto de “troca”, oferta e doação.

Parabéns! Gratidão! #90anosdepresençanoBrasil

Texto e imagens: Euzimar Jesus Rosa




Fonte: sala de imprensa
Postado por: Sala de Imprensa



Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Doutrina Social da Igreja reivindica a união entre ética e política
Após cinco anos de reflexão, estudo e trabalho intelectual intenso, a Igreja Católica oferece "Compêndio da Doutrina Social da Igreja", elaborado pelo Pontifício Conselho Justiça e Paz.

O rádio como apoio ao anúncio da Palavra
Este livro é um subsídio destinado a quem faz programas religiosos no rádio e deseja contribuir para que seus ouvintes conheçam melhor a Palavra de Deus.

A questão ambiental lado a lado com o progresso
O livro "A consciência ecológica na administração" se propõe a contribuir com empresas, poder público e todos os que se interessam pela preservação do meio ambiente, sem a necessidade de abrir mão do progresso.

Um Pinóquio para crianças e adultos
"As aventuras de Pinóquio" é a história original escrita por Carlo Collodi e publicada pela primeira vez em capítulos em 1883, no Jornal das crianças.

Ver o mundo como uma gostosa brincadeira
Em "Badulaques e Traquitanas", a construção sutil de palavras e frases, em perfeita consonância e interatividade com as ilustrações do autor, permite ao jovem leitor a exploração de múltiplos significados.

Início Anterior 289 290 291 292 293 294 295 296 297 298 299 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados