BUSCA

Das origens para o mundo – Há 90 anos Paulinas marca presença missionária em terras brasileiras

Data de publicação: 27/10/2021

imprimir

Trailer




Uma celebração eucarística com cenas historiográficas e resgate de memórias marca a festa de 90 anos da Paulinas no Brasil, celebrada na filial de São Luís do Maranhão, na tarde de quinta-feira (21 de outubro de 2021), no Centro de Evangelização da Paulinas Livraria. Marcaram presença na celebração as Irmãs Paulinas, os colaboradores, cooperadores, amigos, admiradores e clientes, que renderam graças e louvaram a Deus pelo momento histórico, evangelizador e transformador de vidas ao longo das nove décadas.

Em uma manhã chuvosa de quarta-feira (21 de outubro de 1931), ao porto de Santos, litoral do estado de São Paulo, chegava a irmã Dolores Baldi, fsp. A primeira missionária paulina a desbravar fronteiras e levar o Evangelho de Jesus Mestre a todos os povos por meio da comunicação social e seus progressos, acompanhando sempre os avanços da ciência e o desenvolvimento dos novos meios tecnológicos.

Na simplicidade de Belém e numa humildade singular, a filha de São Paulo, cheia de fé, confiança e amor, tinha a grande missão de, a partir daquele ano (1931), visibilizar e promover ações, que ganharam formas e saíram do papel, chegando aos dias de hoje reconfiguradas mediante os avanços do progresso, e, assim, proclamar a Palavra aos homens de boa vontade!

Pelo linear dos fatos históricos, a irmã Dolores dava sinais de que era uma mulher profética, que tinha a sensibilidade e a humanização a correr em todos os sentidos do corpo, e assim demonstrava compreender os augúrios contidos na célebre frase de sua primeira mestra, a irmã Tecla Merlo, que dizia querer ter “mil vidas para o Evangelho”. Uma frase com palavras proféticas, semeadas em terra fértil e ecoadas por vozes maviosas e cheias de dons e carismas, presentes até os dias de hoje.

Seguia as orientações do fundador da Família Paulina, o Bem-aventurado padre Tiago Alberione, e da primeira mestra irmã Tecla, e ambos conheciam muito bem aquela jovem. Ela, a irmã Dolores, ainda adolescente transbordava em ações e gestos o ardor missionário... E, assim, ao mesmo tempo em silêncio, para escutar a voz do profeta, se precisasse vestir tecido de qualquer cor para aquecer o corpo ou conviver na paz, podendo ser vermelho, amarelo etc., não haveria problema nenhum, como havia orientado o fundador das Filhas de São Paulo. Naquela época, a congregação estava com apenas 16 anos de fundação e dava um grande salto histórico em nível mundial, propagando o Evangelho de Jesus Cristo com os meios de comunicação.

Observado o caminhar da missão e o angular pelos olhos da fé e do social, o vestir-se das cores é de um simbolismo forte e profético, pois o mês de outubro é também mês missionário, e as cinco cores também representam os continentes e avivam o ardor missionário da Igreja, que é movida pela ação do Santo Espírito. Hoje, a Paulinas está presente em todos os continentes. Em terras brasileiras, a Paulinas nasce pequenininha, feito semente de mostarda... No campo da semiótica, as cores avivam lembranças, conectam os homens, despertando-os para as ações do mundo da vida. Nas misturas das cores, podemos dizer que há um entrelaçar de vida e beleza. Um misturar feito por mãos dedicadas e firmes, mãos de gente com vontade de segurar e conduzir a Palavra e proclamá-la, fazendo uso de ideias criativas, do conhecimento cultural e das tradições e línguas.

Depois da Itália, o Brasil foi o primeiro país a receber uma irmã paulina! Deus conhece seus filhos e filhas, prepara seus proclamadores desde o ventre materno. Por mais desafiantes que sejam os fatos da vida, o desejo ardente e a vontade de ser missionária eram o combustível que movia as forças vitais e a essência da vida de irmã Dolores Baldi.

Com uma Bíblia nas mãos, um terço, um crucifixo, fé e determinação, a irmã Dolores confiava e dizia: “Tudo é obra de Deus”. Esse ardor profético era marca da sua vida missionária. E assim ela vai fazendo uso dos mais diversos meios de comunicação e dos areópagos modernos para propagar as maravilhas de Deus.

Em clima de festa e gratidão, a cooperadora paulina e apresentadora do programa Hora Vocacional Paulinas-SLZ Conceição Silva saúda a todos os presentes na celebração: as Irmãs Paulinas, o celebrante padre Jadson Borba e Silva (coordenador da Ação Evangelizadora Missionária da Arquidiocese de São Luís-MA), o concelebrante padre Rodrigo Gutemberg (reitor do seminário São João Maria Vianney de São Luís e animador vocacional) e os clientes e amigos presentes no Centro de Evangelização e Cultura da Paulinas Livraria de São Luís.

Com a Palavra nas mãos, vestida de hábito religioso preto, um terço e um crucifixo, a psicóloga e cooperadora paulina Celeste Silva entra em cena no momento da Entronização da Palavra (Bíblia), representando a irmã Dolores Baldi chegando ao Brasil. Momento bonito encenado com pura delicadeza e entrega.

A irmã Janete Leal, fsp, gerente da livraria, dá início a sua fala agradecendo e saudando as pessoas presentes na celebração eucarística e as que acompanhavam o evento por meio das redes sociais: “Irmãs e irmãos, é para nós motivo de alegria e gratidão, hoje, 21 de outubro de 2021, a Paulinas celebrar 90 anos de missão em terras brasileiras. Missão iniciada por irmã Dolores Baldi, fsp, com total amor e dedicação à obra missionária da Congregação das Irmãs Paulinas, que tem chegado a muita gente e feito morada em muitos corações. Somos comunicadoras do Evangelho de Jesus de Cristo. Tudo começa numa simplicidade e na pobreza de Belém. Ela, a irmã Dolores Baldi, tinha consciência de sua pequenez, sendo instrumento nas mãos de Deus. Nada era obra sua, mas ‘Tudo é obra de Deus’, como proclamava irmã Dolores, que, meses depois, em dezembro de 1931, recebia a companhia missionária da irmã Stefania Cillario. Gratidão às irmãs por confiarem nas palavras e no convite do fundador da Família Paulina, o Bem-aventurado padre Tiago Alberione, e da cofundadora irmã Tecla Merlo. Hoje celebramos esse marco histórico que muito nos alegra! E muito temos contribuído com a Igreja no Brasil, formando cidadãos nos mais diversos campos sociais deste país”, ressalta a irmã Janete Leal.

O padre Jadson Borba e Silva, durante a homilia, externa em palavras de afeto e gratidão o importante papel que a Paulinas vem prestando à sociedade brasileira, de modo especial à Igreja: “São 90 anos de vocação, palavra e missão. Noventa anos de evangelização! A liturgia começa com a palavra ‘feliz’... Eu digo mais, felizes também são aqueles que seguem os desígnios do Senhor! São homens e mulheres vigorosos na esperança, na fé e na caridade... Somos chamados a dar frutos. No Evangelho de hoje, Jesus mostra que veio trazer a paz. As Irmãs Paulinas, por meio da livraria e de suas obras publicadas, ajudam o povo a descobrir e encontrar a Paz Verdadeira. E ao encontrarmos, faz arder nossos corações, ainda mais quando nos aproximamos do projeto de Jesus... A vocação não é nossa. A origem de todas as vocações é Deus. A iniciativa é de Deus, nós somos instrumentos nessa vocação... A Palavra, por si só, não tem condições de caminhar sozinha; ela precisa de nós, homens e mulheres, para levá-la a quem precisa escutar e depois anunciá-la, assim como olhamos a chegada da cooperadora paulina representando a irmã Dolores, a primeira missionária. A missão se dá em saída, quando vamos ao encontro do outro que tem sede de conhecer Jesus e damos voz aos que precisam, sem segregar ou afastar, mas unindo. Fazer a experiência do encontro! A Paulinas Livraria é um lugar que emana evangelização, amor, esperança e alegria, e busca, a cada dia, atualizar as pessoas, promover belezas e comunicar a vida! Parabéns, Paulinas! Parabéns, Irmãs Paulinas, aos colaboradores, aos cooperadores, clientes e amigos! Noventa anos de evangelização e missão! Muito obrigado”, agradece o padre Jadson.

Para a animadora vocacional paulina e dinamizadora do programa on-line “Hora Vocacional Paulinas – Rezando com @ PALAVRA pelas vocações”, que vai ao ar às quintas-feiras, às 10 horas da manhã, irmã Cicera Gomes, fsp, o momento é de alegria: “Sou feliz por ser uma irmã paulina, missionária da Palavra. Uma filha de São Paulo, a exemplo da primeira mestra Tecla e da primeira missionária, a irmã Dolores Baldi. É uma alegria poder partilhar e agradecer a Deus por este belo e histórico momento. Neste dia, 21 de outubro, estamos celebrando 90 anos de presença da Paulinas no Brasil. Aqui, no Maranhão, já estou pela segunda vez, e neste estado a missão Paulinas está presente há 42 anos. Reafirmo, mais uma vez: eu estou muito feliz e realizada por poder partilhar e agradecer a Deus por este momento. Assim como falou o padre Jadson, a missão é de Deus, é de Jesus, e eu aceitei o convite do Mestre. Foi Ele, Jesus, quem me chamou, assim como fez com a irmã Dolores. Busco viver a caridade e a humildade, dando sempre o melhor de mim a Deus e aos irmãos. Sejamos humildes, a minha mãe me ensinou isso, que condiz muito com a missão e os ensinamentos de Cristo! Somos Igreja em saída. Na minha simplicidade, busco dar o melhor para Jesus e para as pessoas. O Reino de Deus precisa dos nossos pés, do meu amor e dos nossos corações, das nossas ações verdadeiras; precisa de todos, em especial das jovens, dos jovens... Vocação, eu digo sim! Hoje, o céu e a terra se encontraram nesta belíssima celebração. Tivemos até a presença simbólica da irmã Dolores, representada pela cooperadora paulina Celeste Silva. Deus nos abençoe sempre”, finaliza a irmã Cicera Gomes.

O momento, além de belo, é histórico para todas as Irmãs Paulinas, as comunicadoras do Evangelho de Jesus Cristo, que, há 90 anos em missão em terras brasileiras, vêm inovando sempre, conectadas com o futuro, fazendo tudo como inspira o Grande Mestre, Jesus Cristo, e seguindo os pilares das origens de ontem, inspiradas em momentos de oração e adoração eucarística, alimentadas pela Palavra, pela entrega total e pela comunhão dos fundadores da congregação e de todos os envolvidos em propagar as belezas de Deus. Com muita responsabilidade e muito amor, visibilizam, por meio de ricos trabalhos, do conhecimento, da cultura, da pluralidade, da educação, da inclusão e da evangelização, as “obras que promovem vidas” e que são produzidas pelas Filhas de São Paulo presentes no Brasil e devolvidas ao povo em um gesto de “troca”, oferta e doação.

Parabéns! Gratidão! #90anosdepresençanoBrasil

Texto e imagens: Euzimar Jesus Rosa




Fonte: sala de imprensa
Postado por: Sala de Imprensa



Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Só um coração: novo single de Antonio Cardoso ressalta problemática da pobreza e homenageia padre Júlio Lancelotti
Na contagem regressiva para o V Dia Mundial dos Pobres, o compositor e cantor lança a música neste 14 de outubro, exatamente a um mês da data especial.

Irmãs Paulinas celebram seus 90 anos de Brasil no Santuário de Nossa Senhora Aparecida (SP)
Uma missa realizada no próximo domingo (10), às 8h00, no Santuário de Aparecida (SP) vai celebrar os 90 anos das Paulinas no Brasil.

Morre o chileno Pablo Richard, um arqueólogo da Bíblia e um cristão comprometido com a realidade da pobreza na América Latina
O Filósofo, doutor em Teologia e Ciências Bíblicas chileno Pablo Richard faleceu hoje (20) deixando um muito rico na interpretação da Bíblia e dos movimentos sociais.

Paulinas conclui cadastramento de seu catálogo em metadados e potencializa busca de seus produtos na internet
Paulinas dá um passo gigante ao oferecer ao mercado todo o seu catálogo em metadados, firmando contrato com a empresa Metabooks

SETEMBRO AMARELO - Considerado um assunto tabu, o suicídio é o tema de livro lançado pela Paulinas
No Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio, o suicidólogo Padre Lício de Araújo Vale lança um livro que ajuda a entender e prevenir o suicídio

Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados