BUSCA

A injustiça social de ontem, de hoje, de sempre...

Data de publicação: 11/05/2006

imprimir

Trailer



São Paulo, 11 de maio de 2006

"A preocupação com os pobres, de ontem e de hoje, preside este estudo. Não apenas para explicar sua situação, mas para dizer que Deus não a quer, e que é preciso ultrapassá-la."

Como diz no prefácio o dr. cônego Antônio Manzatto, diretor da Faculdade de Filosofia Nª Srª da Assunção, da Arquidiocese de São Paulo, "A preocupação com os pobres, de ontem e de hoje, preside este estudo. Não apenas para explicar sua situação, mas para dizer que Deus não a quer, e que é preciso ultrapassá-la. Mais que isso, para dizer que Deus mesmo se engaja para superar essa situação de sofrimento, de resto totalmente inexplicável e injustificável. Mais ainda, aponta para uma outra realidade possível, que pode começar desde já a ser construída. Essa outra realidade pode ser chamada de utopia, esperança ou promessa, mas, mais importante que o nome é saber ao que ela se refere: uma realidade onde os pobres não sofram. A isso, Jesus chamou de Reino de Deus".

Esta obra pode ser compreendida como uma análise poética da sociedade do Antigo Israel. A originalidade de Análise Poética da Sociedade se prende ao rigoroso método exegético do autor, que explora o texto de acordo com os mais aperfeiçoados instrumentos da análise literária, análise que tem como ponto de partida a observação das violências sofridas pela população simples e por aqueles que mereceriam ser protegidos pela sociedade. Dessa forma, o capítulo 24 de Jó adquire um alcance insuspeitado.

Torna-se expressão da maneira como a pobreza, fruto da injustiça social, é vista e interpretada à luz de Deus, como o sofrimento de Jó, qual situação de profunda significação religiosa. Constitui, assim, uma confirmação importante da continuidade entre o judaísmo e o cristianismo, que se posicionam igualmente, em nome de Deus, contra a opressão que caracteriza a sociedade, tanto de ontem como de hoje.

A obra, publicada simultaneamente no Brasil e na Alemanha, adquire um valor especial para nós, como observa o autor: "Para o leitor da Bíblia no Brasil, a descrição da sociedade por Jó contém uma atualidade surpreendente. Continua sendo verdade que a violência política, econômica e até física leva muitas pessoas e famílias à perda de suas posses e, com isso, à perda de sua liberdade. Fome, sede, nudez, uma predisposição maior para a violência e a morte prematura dos mais necessitados são ainda as conseqüências diretas dos crimes promovidos pelo grupo das pessoas dominantes".

Título: Análise poética da sociedade
Autor: Matthias Grenzer
Coleção: Exegese
Págs. 96
Preço: R$ 16,60
Formato: 14 x 21
Código: 50864-0
ISBN: 85-356-1664-0

Sala de Imprensa
Editora Paulinas
Malu Delmira e J. Fátima Gonçalves
11-5081-9333 - 7203-8595
imprensa@paulinas.com.br


Fonte: Paulinas
Postado por: Administrador

Galeria de Imagens





Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Uma vida de serviço aos "mais pobres dos pobres"
Esta é a primeira publicação que destaca o poderoso caráter místico da experiência espiritual de Madre Teresa, uma análise sistemática do seu pensamento que mostra a força revolucionária de seu novo cristianismo, fruto do perfeito encontro entre duas trad

Um novo olhar sobre fariseus, escribas e saduceus
O especialista em história antiga e estudos bíblicos professor Anthony J. Saldarini se lançou ao desafio de contribuir para uma compreensão mais abrangente desses três partidos religiosos, em relação ao seu contexto e significado.

Mídias digitais e inclusão social - o debate é agora!
Diante das novas mídias digitais, como colocar em prática projetos de inclusão social? André Barbosa Filho, Cosette Castro e Takashi Tome oferecem subsídios para a discussão desta e de outras grandes questões que estão na pauta do Governo hoje.

Ambiente: por mudanças urgentes!
As grandes mudanças tão necessárias ao País, incluindo uma radical em nossas políticas públicas, só terão início com o despertar da consciência dos brasileiros a respeito de si mesmos e de sua importância para o tecido social.

O desafio de ser um para o outro
Em mais esta obra filosófico-teológica, Bruno Forte, um dos mais vigorosos teólogos italianos da atualidade, defende que a ética não pode existir sem transcendência, sem um "ir para o outro" desprovido de interesses, com a única finalidade de acolhê-lo na

Início Anterior 162 163 164 165 166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados