BUSCA

A pedra do conhecimento

Data de publicação: 20/04/2011

imprimir

Trailer



Mariana gostava de brincar com a Zeca, mas sempre que voltava, as perguntas vinham junto: por que a casa dela não tem assoalho? Por que ela anda de pés no chão? Ela mesma concluía: Não é justo!

Difícil para qualquer adulto enfrentar as perguntas de crianças. Por quê isso? Por quê aquilo? Por quê? Por quê?... Com Mariana, a menina descrita por Sergio Napp na obra A pedra do conhecimento, não era diferente. Perspicaz, ela vivia intensamente sua infância no campo ao lado de Bolacha, um cachorro que ganhara do pai quando tinha três anos e se tornara seu fiel companheiro nas brincadeiras e achados.

Sua capacidade de observação e seu senso de justiça se anunciaram desde que nascera, na voz da negra Eufrásia. Tudo podia ser motivo para uma pergunta, geralmente, perguntas esquisitas, difíceis de serem respondidas, até impertinentes, de deixar qualquer adulto sem jeito. Para ela, as coisas se dividiam em serem justas ou não. Simples assim.

Provocante, Napp contou com a força e a pureza da criança para falar do desejo de querer transformar um mundo de riquezas mal divididas. Usou, para isso, as questões de sempre e sem respostas, que estimulam debates. O mundo cheio de interrogações da pequena Mariana ficou ainda mais iluminado com a varinha de condão de Anelise Zimmermann. Professora, ela pintou e bordou o universo que Napp inventou. “Parece que borrifou cada página com o arco íris.”

Título: A pedra do conhecimento
Autor: Sergio Napp
Ilustradora: Anelise Zimmermann
Editora: Paulinas
Coleção: Espaço Aberto
Formato: 23,0 x 23,0
40 págs.
Cód.: 517232
ISBN: 9788535626469
Preço: R$ 25,80

Sala de Imprensa
Joana Fátima, Paula Oliveira e Roberta Molina
www.paulinas.org.br/sala_imprensa
saladeimprensa@paulinas.com.br


Fonte: Paulinas
Postado por: Administrador

Galeria de Imagens





Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Michilo, o gato, passeou pela Bienal na tarde do dia 12 de março
O escritor José Arrabal compareceu ao estande de Paulinas na Bienal na tarde do úlimo dia 12 para uma sesão de autógrafos do livro "Cacuí - o curumim encantado", que conta a aventura do pequeno índio em uma aldeia perdida nas matas às margens do Rio Negro

Crescer com arte: a proposta de Paulinas para as crianças
"Ulomma - a casa da beleza" é uma homenagem do autor nigeriano Sunny à Mãe África, berço da humanidade, e um convite ao resgate de elementos importantes da história e da cultura africanas, componentes de nossa formação cultural.

Os segredos da telenovela brasileira
Obra aborda a relação entre a música e o universo da teledramaturgia e, entre outras coisas, faz o leitor compreender como se dá a manipulação psicológica do telespectador por meio da trilha musical e qual o papel da indústria fonográfica na elaboração e

Sunny surpreende-se com a receptividade na feira
"Ulomma - a casa da beleza" é uma homenagem do autor nigeriano Sunny à Mãe África, berço da humanidade, e um convite ao resgate de elementos importantes da história e da cultura africanas, componentes de nossa formação cultural.

Dorina Nowill: graça, sabedoria e humor na Bienal
Claudia Cotes, Dorina Nowill, personagem do livro "Dorina Viu", e a escritora Elizete Lisboa estiveram presentes no estande de Paulinas na Bienal para receber os visitantes e discutir a questão da inclusão social e educacional dos deficientes visuais, no

Início Anterior 163 164 165 166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados