BUSCA

A pedra do conhecimento

Data de publicação: 20/04/2011

imprimir

Trailer



Mariana gostava de brincar com a Zeca, mas sempre que voltava, as perguntas vinham junto: por que a casa dela não tem assoalho? Por que ela anda de pés no chão? Ela mesma concluía: Não é justo!

Difícil para qualquer adulto enfrentar as perguntas de crianças. Por quê isso? Por quê aquilo? Por quê? Por quê?... Com Mariana, a menina descrita por Sergio Napp na obra A pedra do conhecimento, não era diferente. Perspicaz, ela vivia intensamente sua infância no campo ao lado de Bolacha, um cachorro que ganhara do pai quando tinha três anos e se tornara seu fiel companheiro nas brincadeiras e achados.

Sua capacidade de observação e seu senso de justiça se anunciaram desde que nascera, na voz da negra Eufrásia. Tudo podia ser motivo para uma pergunta, geralmente, perguntas esquisitas, difíceis de serem respondidas, até impertinentes, de deixar qualquer adulto sem jeito. Para ela, as coisas se dividiam em serem justas ou não. Simples assim.

Provocante, Napp contou com a força e a pureza da criança para falar do desejo de querer transformar um mundo de riquezas mal divididas. Usou, para isso, as questões de sempre e sem respostas, que estimulam debates. O mundo cheio de interrogações da pequena Mariana ficou ainda mais iluminado com a varinha de condão de Anelise Zimmermann. Professora, ela pintou e bordou o universo que Napp inventou. “Parece que borrifou cada página com o arco íris.”

Título: A pedra do conhecimento
Autor: Sergio Napp
Ilustradora: Anelise Zimmermann
Editora: Paulinas
Coleção: Espaço Aberto
Formato: 23,0 x 23,0
40 págs.
Cód.: 517232
ISBN: 9788535626469
Preço: R$ 25,80

Sala de Imprensa
Joana Fátima, Paula Oliveira e Roberta Molina
www.paulinas.org.br/sala_imprensa
saladeimprensa@paulinas.com.br


Fonte: Paulinas
Postado por: Administrador

Galeria de Imagens





Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

A questão ambiental lado a lado com o progresso
O livro "A consciência ecológica na administração" se propõe a contribuir com empresas, poder público e todos os que se interessam pela preservação do meio ambiente, sem a necessidade de abrir mão do progresso.

Ver o mundo como uma gostosa brincadeira
Em "Badulaques e Traquitanas", a construção sutil de palavras e frases, em perfeita consonância e interatividade com as ilustrações do autor, permite ao jovem leitor a exploração de múltiplos significados.

A deficiência no cotidiano das crianças
Assim como entre várias espécies de flores ou de animais é possível observar características tão diferentes, também entre os seres humanos os traços étnicos ou biológicos identificam visualmente o quanto cada pessoa é única e especial - ou melhor, excepci

Até que a crise nos separe
Diante de tantas crises e da desilusão que parecem atingir tantos casais, ficam no ar as perguntas: O que aconteceu? Onde e quem cometeu o erro que destruiu os sonhos de um amor eterno? Muitas vezes, leva-se adiante uma relação por comodismo, hábito...

Início Anterior 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados