BUSCA

Chega ao Brasil jornalista italiana que escreveu biografia de sudanesa condenada à morte por se tornar cristã

Data de publicação: 27/03/2017

imprimir

Trailer



Antonella Napoli vem em abril para apresentar seu livro sobre jovem de 27 anos que estava grávida quando foi presa e condenada


A jornalista italiana Antonella Napoli, especialista em Política Internacional e ativista de direitos humanos, colaboradora das revistas Vanity Fair, Limes e L’Huffington Post, chega a São Paulo na sexta-feira, 21 de abril, para apresentar seu livro “O meu nome é Meriam”.
No domingo, dia 23, às 19h, Antonella fala à comunidade ítalo-brasileira e realiza sessão de autógrafos no Instituto Italiano de Cultura de São Paulo (Av. Higienópolis, 436 – Higienópolis) e, na segunda-feira, 24, às 10h30, ela apresenta sua obra na Escola Italiana Eugenio Montale (Rua Doutor José Gustavo Bush, 75 – Morumbi).
“O meu nome é Meriam” narra o caso de Meriam Yehya Ibrahim Ishag, uma jovem de 27 anos condenada a cem chibatadas por adultério, por ser casada com um cristão, e à morte por enforcamento por recusar-se a renegar a sua religião. Denunciada por um suposto meio-irmão, a quem nunca antes vira, seu julgamento mobilizou ativistas do mundo inteiro e foi noticiado em jornais, canais de televisão e redes sociais de todo o globo.
Mãe de um menino de um ano e meio, Meriam estava grávida quando recebeu sua sentença. Ela foi obrigada a dar à luz a pequena Maya na prisão, acorrentada, no dia 27 de maio de 2014, enquanto seus advogados preparavam um recurso ao Tribunal de Segunda Instância e a jornalista Antonella Napoli entrava em ação, relançando a campanha pela sua libertação, envolvendo políticos e voluntários em defesa dos direitos humanos.
Após intensas negociações diplomáticas do governo italiano e do Vaticano com as autoridades do Sudão, a corte do país decidiu libertar Meriam no dia 24 de junho de 2014. Ela e sua família passaram a se refugiar na embaixada americana até que chegaram a Roma, onde se encontraram com o papa Francisco, acompanhados do vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Lapo Pistelli, que foi ao Sudão só para buscá-los.
Os casamentos que misturam duas fés não são reconhecidos no Sudão, e uma pessoa que “abandona” uma religião em troca de outra pode ser acusada de apostasia. O pai de Meriam é muçulmano, e, teoricamente, Meriam deveria ter herdado a religião do pai, mas ela sustenta que foi criada na fé cristã por sua mãe, ortodoxa etíope, depois que seu pai as deixou quando ela era uma criança.
“Teriam bastado duas palavras para sair do pesadelo e voltar a uma vida normal. Mas eu não as pronunciaria. Nem agora, nem nunca. Eu suportaria qualquer pena para defender a minha dignidade e proteger a liberdade de escolher e crer na minha religião”, afirma a sudanesa.
Meriam nunca pensou em se tornar um símbolo, mas sua postura, decidida a enfrentar qualquer pena para defender sua dignidade e proteger a liberdade de escolher e crer na própria religião, serve de exemplo e alimenta a fé de todos aqueles que sofrem perseguições e violência devido à intolerância religiosa.
Antonella Napoli está disponível para entrevistas e possui um intérprete (italiano/português) à disposição.

Ficha técnica do livro:
Título: O meu nome é Meriam
Autora: Antonella Napoli
ISBN: 978-85-356-4195-0
Coleção: Superação
Páginas: 160
Edição: 1
Idioma: Português
Formato: 13,5 x 21,0 cm
Código: 529907
Preço: R$ 18,50

Sobre a autora:
Antonella Napoli é jornalista e, atualmente, ocupa-se de política internacional e direitos humanos. Africanista e analista de questões internacionais, colabora com as revistas Vanity Fair, Limes e L’Huffington Post. É autora de livros e reportagens, além de contos e ensaios publicados em antologias e revistas universitárias. É ativista de direitos humanos, promovendo campanhas, eventos e iniciativas institucionais; fundadora e presidente da Italians for Darfur Onlus e membro da Articolo 21 – uma associação que defende o princípio da liberdade de manifestação de pensamento.

Sobre Paulinas:
Paulinas Editora é parte integrante do projeto apostólico da Pia Sociedade Filhas de São Paulo, instituição religiosa católica fundada pelo padre Tiago Alberione, com a colaboração de irmã Tecla Merlo, na Itália, em 1915, com o objetivo de evangelizar na cultura da comunicação. Referência de qualidade, ética e respeito pela diversidade cultural e religiosa, Paulinas Editora está presente no Brasil desde 1931 e, ao longo de sua trajetória, vem sendo reconhecida por sua atuação com inúmeras premiações, com destaque para oito Prêmios Jabuti – o mais importante prêmio literário do país, conferido pela Câmara Brasileira do Livro. Diversas obras também receberam a menção “Altamente recomendável” ou indicações ao “Acervo básico” da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), entre outras distinções conferidas por associações literárias nacionais e do exterior.

Informações para a imprensa:
Luciana Sabbag
Tel.: 55 11 5081-9333 – Ramal 9473
Cel.: 11 98408-4490 (WhatsApp)
imprensa@paulinas.com.br


Fonte: Sala de Imprensa
Postado por: Sala de Imprensa



Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Padre Agnaldo José lança single em honra ao Doce Coração de Maria
Com participação de Fátima Souza, a composição de Pe. Agnaldo José e Pe. Paulo Sérgio de Souza homenageia a primeira discípula do Senhor. Com ela, aprendemos a cantar o Magnificat em louvor aos feitos de Deus em nossas vidas.

Catequese em família com Padre Zezinho, scj
Resumo: A série “Catequese em Família”, com uma linguagem didática e objetiva, aborda situações concretas do cotidiano dos casais e filhos. As inspirações desta primeira temporada partem do livro “Amores que deram certo”.

Antônio Cardoso lança single sobre a conscientização a ecologia integral e o cuidado com a Casa Comum.
O cantor Antônio Cardoso acaba de lançar o single “Sob a luz dos mártires da fé (Um pacto pela Amazônia)” inspirado nesse compromisso solene e na missão de levar, através da música, à conscientização sobre a ecologia integral e o cuidado com a Casa Comum.

Nos passos de Santa Cecília e o encontro do " Vinil ao Digital".
Por ocasião do dia da padroeira dos músicos, Santa Cecília, celebrada em 22 de novembro, vamos refletir sobre a música cristã e o seu relevante papel na liturgia e atividades pastorais.Confira também como foi o encontro do “Vinil ao Digital”.

Donana e Titonho no Prêmio Jabuti
Na última quinta-feira (31/10), a Câmara Brasileira do Livro (CBL) divulgou os cincos finalistas de cada uma das 19 categorias do prêmio, que chega em 2019 à sua 61ª edição.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados