BUSCA

E o Verbo se fez rede

Data de publicação: 29/06/2017

imprimir

Trailer


DADOS DO PRODUTO

Título: E o verbo se fez rede
Autor(a): Moisés Sbardelotto
PAULINAS - LIVROS
Coleção: Pastoral da Comunicação - série comunicação e cultura
Formato: (15,5 x 23,0)
Páginas: 400
Código: 530999
ISNB: 9788535643022
Preço: R$ 54,90

RELEASE


Livro discute desafios e desdobramentos das religiões na era digital

“E o Verbo se fez rede” é publicado por Paulinas em parceria com o SEPAC (Serviço à Pastoral da Comunicação)

O mestre e doutor em Ciências da Comunicação Moisés Sbardelotto lança, em junho, a obra “E o Verbo se fez rede – Religiosidades em reconstrução no ambiente digital”, publicada por Paulinas Editora, para a coleção “Pastoral da Comunicação: teoria e prática”, série “Comunicação e Cultura”.
Sabe-se que hoje tudo está em rede – nas redes sociais, redes digitais, redes midiáticas. Com o desenvolvimento da internet e do ambiente digital, as pessoas vivem novas formas de relação e de interação, sem fronteiras de espaço e sem limites de tempo. A sociedade está conectada, em velocidade e abrangência crescentes. E, para as religiões, esse é um grande desafio.
O digital é um novo ambiente religioso e teológico. Formam-se novas modalidades de percepção, de experiência e de expressão do “sagrado” em novos ambientes comunicacionais. E as práticas sociais no ambiente on-line complexificam o fenômeno religioso.
O “sagrado” passa a circular na internet não apenas por meio do âmbito da “produção” eclesiástica ou midiática, mas também por meio da comunicação das inúmeras pessoas conectadas.
Isso diz respeito especialmente às tradições religiosas mais históricas, como o cristianismo, dada a sua existência bimilenar. Com esse novo ambiente comunicacional, a Igreja e as religiões vêm sendo impelidas a modificar suas estruturas comunicacionais e sistemas internos e externos de significação do sagrado em sociedade.
O livro “E o Verbo se fez rede – Religiosidades em reconstrução no ambiente digital” discute justamente quais desdobramentos isso pode provocar ou já está provocando.
“A evangelização não pode desconsiderar essa realidade. E é esse fenômeno que Moisés Sbardelotto perscruta neste seu livro, de modo articulado, preciso e profundo, ao mesmo tempo”, afirma Antonio Spadaro, S.I., diretor da revista La Civiltà Cattolica.
No livro, também é abordada a interface comunicacional de uma das facetas do cristianismo, o catolicismo brasileiro. O interesse pelo catolicismo se deve, principalmente, à relevância sócio-histórico-cultural da Igreja Católica no Brasil – a tradição, a doutrina e a prática religiosa do catolicismo constituem uma referência comunicacional da cultura no Brasil. E, se a cultura é construída por “mediações comunicativas”, são estas que nos instigam em relação ao catolicismo contemporâneo, especialmente em tempos de plataformas sociodigitais.
O livro “E o Verbo se fez rede – Religiosidades em reconstrução no ambiente digital” já está disponível em toda a Rede Paulinas de Livrarias, pelo 0800 70 100 81 e no site www.paulinas.com.br.

Ficha técnica do livro:
Título: E o Verbo se fez rede – Religiosidades em reconstrução no ambiente digital
Autor: Moisés Sbardelotto
ISBN: 978-85-356-4302-2
Coleção: Pastoral da Comunicação: teoria e prática
Páginas: 400
Edição: 1
Ano: 2017
Idioma: Português
Formato: 15,5 x 23 cm
Código: 530999
Preço: R$ 54,90

Sobre o autor:
Moisés Sbardelotto é mestre e doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), com estágio doutoral na Università di Roma “La Sapienza” (Itália) e graduação em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É colaborador do Instituto Humanitas Unisinos (IHU). Participou da Comissão Especial para o Diretório de Comunicação para a Igreja no Brasil, da CNBB. De 2008 a 2012, coordenou o escritório brasileiro da Fundação Ética Mundial (Stiftung Weltethos).

Sobre Paulinas:
Paulinas Editora é parte integrante do projeto apostólico da Pia Sociedade Filhas de São Paulo, instituição religiosa católica fundada pelo padre Tiago Alberione, com a colaboração de irmã Tecla Merlo, na Itália, em 1915, com o objetivo de evangelizar na cultura da comunicação. Referência de qualidade, ética e respeito pela diversidade cultural e religiosa, Paulinas Editora está presente no Brasil desde 1931 e, ao longo de sua trajetória, vem sendo reconhecida por sua atuação com inúmeras premiações, com destaque para sete Prêmios Jabuti – o mais importante prêmio literário do país, conferido pela Câmara Brasileira do Livro. Diversas obras também receberam a menção “Altamente recomendável” ou indicações ao “Acervo básico” da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), entre outras distinções conferidas por associações literárias nacionais e do exterior.

Informações para a imprensa:
Luciana Sabbag
Tel.: 55 11 5081-9333 – Ramal 9473
Cel.: 55 11 98408-4490 (WhatsApp)
imprensa@paulinas.com.br


Fonte: Sala de Imprensa
Postado por: Sala de Imprensa



Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Um novo olhar sobre fariseus, escribas e saduceus
O especialista em história antiga e estudos bíblicos professor Anthony J. Saldarini se lançou ao desafio de contribuir para uma compreensão mais abrangente desses três partidos religiosos, em relação ao seu contexto e significado.

Mídias digitais e inclusão social - o debate é agora!
Diante das novas mídias digitais, como colocar em prática projetos de inclusão social? André Barbosa Filho, Cosette Castro e Takashi Tome oferecem subsídios para a discussão desta e de outras grandes questões que estão na pauta do Governo hoje.

Ambiente: por mudanças urgentes!
As grandes mudanças tão necessárias ao País, incluindo uma radical em nossas políticas públicas, só terão início com o despertar da consciência dos brasileiros a respeito de si mesmos e de sua importância para o tecido social.

O desafio de ser um para o outro
Em mais esta obra filosófico-teológica, Bruno Forte, um dos mais vigorosos teólogos italianos da atualidade, defende que a ética não pode existir sem transcendência, sem um "ir para o outro" desprovido de interesses, com a única finalidade de acolhê-lo na

Luz para quem não pode ouvir
No relacionamento com as pessoas que não conseguem ouvir "deve-se ultrapassar a retórica discursiva, que vem a ser bela e apelativa às emoções, mas que é exclusiva na medida em que nega a diferença e suas demandas", defende a autora, mãe de uma criança su

Início Anterior 162 163 164 165 166 167 168 169 170 171 172 173 174 175 176 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados