BUSCA

Paulinas lança o Pentateuco, os cinco primeiros livros da Bíblia, traduzido das línguas originais

Data de publicação: 08/12/2021

imprimir vídeo

Trailer



Pentateuco faz parte da coleção A Bíblia, que inclui os Evangelhos, Salmos e o Novo Testamento

 A Paulinas Editora acaba de lançar o Pentateuco, conjunto dos cinco primeiros livros da Bíblia Sagrada (Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio), como parte da coleção A Bíblia. Trata-se do trabalho de um grupo de exegetas altamente qualificados, que buscou traduzir do hebraico, de forma exata e fluente, os textos bíblicos.

Sobre a importância do lançamento do Pentateuco para os estudos bíblicos, conversamos com Matthias Grenzer, PhD em Teologia, mestre em História, professor de Literatura Bíblica na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), tradutor e revisor exegeta do Pentateuco Paulinas.

- Qual é o diferencial de termos os cinco primeiros livros da Bíblia traduzidos de sua língua original?

Matthias Grenzer: A língua em que algo é pensado influencia a reflexão e o modo de pensar. Exemplo: no hebraico bíblico, não existe a palavra caridade, mas a ideia da justiça praticada. Ainda hoje, em Israel, um mendigo lhe pede: Faça-me justiça, e não: Dê-me uma esmola. Outra pergunta: quando as mulheres hebreias solicitaram, de suas vizinhas ou das hospedeiras de suas famílias, objetos de prata, objetos de ouro e vestimentas, isto é, quando insistiram na transferência de certos bens para o povo que estava saindo do Egito faraônico, se tratava de um despojo ou de uma libertação de quem fazia parte da sociedade opressiva (Êxodo 3,22)? Pois bem, o texto hebraico do segundo livro do Pentateuco caracteriza esse acontecimento como libertação. Apenas o faraó e seu exército, por terem insistido na perseguição de quem caminhava rumo à liberdade, não se deram bem. Os outros egípcios se salvaram, pois estavam dispostos a dividir seus bens. Durante muito tempo, o texto não foi bem traduzido. Sempre, de novo, insistia-se na ideia do despojo. O texto hebraico do livro do Êxodo, porém, diz outra coisa.

- As notas explicativas presentes no Pentateuco da Paulinas ajudam nos estudos bíblicos e no melhor entendimento da mensagem presente na obra?

Matthias: A Bíblia é um livro que merece estudo. É literatura. Pertence à Antiguidade. Traz uma reflexão teológica ampla. Não é tão simples descobrir o que nela é pensado sobre Deus, sobre o ser humano e sobre fauna e flora. Mais ainda: a fé do ouvinte-leitor da Bíblia sempre terá caráter de resposta. No entanto, para responder bem, antes de tudo, é preciso ouvir e entender o que está sendo proposto. Enfim, é preciso ter coragem e saber que estudar faz bem. E estudar a Bíblia faz melhor ainda.

- Por que a coleção A Bíblia, da Paulinas, vem se tornando uma ferramenta importante no estudo bíblico no Brasil?

Matthias: A praticidade de A Bíblia, nova tradução realizada pela Paulinas Editora, é grande. Amplas introduções em cada livro bíblico e um volume de notas explicativas no rodapé fornecem informações preciosas, auxiliando a compreensão do texto bíblico. Aliás, a própria tradução aqui apresentada já é uma boa ajuda, pois houve investimentos significativos em diversas revisões, ora no que se refere à fidelidade da tradução, ora em vista do português.

 - Mesmo sendo especialista nos textos bíblicos, você ainda se surpreende, como teólogo, com as mensagens do Evangelho?

Matthias: Os Evangelhos trazem Jesus. Ele é o intérprete mais fascinante do Pentateuco. O novo Moisés. Cristãos e cristãs sempre lerão o Pentateuco junto a Jesus, sendo que ele, um judeu, leu esses textos como Sagrada Escritura de seu povo. E, exatamente por causa disso, o Pentateuco também se tornou Sagrada Escritura para cristãos e cristãs não pertencentes ao povo judeu.

Enfim, o Pentateuco une judeus, judias, cristãos e cristãs. E, assim, se torna um patrimônio cultural de toda a humanidade. Seus modelos de fé e comportamento são ímpares. Quem estiver a favor de uma sociedade mais igualitária, justa e fraterna, ao ler o Pentateuco, sentir-se-á fortificado em sua fé. As demais pessoas talvez apenas se assustem ao ouvir a mensagem transmitida pelo Pentateuco. Eternamente, porém, todos e todas recebem o convite para um encontro pessoal e comunitário com Deus. Talvez a partir da leitura do Pentateuco. É uma boa dica.

 A Bíblia – Pentateuco

Saiba mais clicando AQUI

 

 Sobre Paulinas:

Referência de qualidade, ética e respeito pela diversidade cultural, Paulinas Editora está presente no Brasil desde 1931 e, ao longo de sua trajetória, vem sendo reconhecida por sua atuação com inúmeras premiações, com destaque para oito Prêmios Jabuti – o mais importante prêmio literário do País, conferido pela Câmara Brasileira do Livro –, e com participação em feiras literárias internacionais. Assume como valores em sua ação: Alegria em servir; Amor à missão; Colaboração e criatividade; Comunhão e participação; Espiritualidade; Harmonia e beleza; Ética e responsabilidade social.

 

Contato para imprensa : Marco ASA | Tel.: (11) 5081-9333 | WhatsApp: (1) 96585-1710 | imprensa@paulinas.com.br

 

 



Fonte: sala de imprensa
Postado por: Sala de Imprensa



Compartilhe este conteúdo:



Veja Também

Uma dupla de tirar o fôlego
Confira neste CD inédito que Paulinas-COMEP acaba de lançar o talento de um dos melhores contrabaixistas do mundo, Celso Pixinga, ao lado de outro grande nome da música brasileira, Giba Favery.

Mídias digitais e inclusão social - o debate é agora!
Diante das novas mídias digitais, como colocar em prática projetos de inclusão social? André Barbosa Filho, Cosette Castro e Takashi Tome oferecem subsídios para a discussão desta e de outras grandes questões que estão na pauta do Governo hoje.

Ambiente: por mudanças urgentes!
As grandes mudanças tão necessárias ao País, incluindo uma radical em nossas políticas públicas, só terão início com o despertar da consciência dos brasileiros a respeito de si mesmos e de sua importância para o tecido social.

O desafio de ser um para o outro
Em mais esta obra filosófico-teológica, Bruno Forte, um dos mais vigorosos teólogos italianos da atualidade, defende que a ética não pode existir sem transcendência, sem um "ir para o outro" desprovido de interesses, com a única finalidade de acolhê-lo na

Luz para quem não pode ouvir
No relacionamento com as pessoas que não conseguem ouvir "deve-se ultrapassar a retórica discursiva, que vem a ser bela e apelativa às emoções, mas que é exclusiva na medida em que nega a diferença e suas demandas", defende a autora, mãe de uma criança su

Início Anterior 285 286 287 288 289 290 291 292 293 294 295 296 297 298 299 300 301 302 Próximo Final
Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados